Compartilhe esta página no Facebook

Compartilhe esta página no G+

Pesquisar no site

Algumas Questões Para os Cristãos


27. Antes de morderem o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal, é lógico que Adão e Eva não tinham este conhecimento, então por que Deus os condenou por comerem do fruto se os fez incapazes de discernir entre o bem e o mal?

26. Um pai amoroso não deixaria seus filhos a mercê de mestres mal intencionados se soubesse o caráter deles. Se Deus ama os seus, por que põe suas almas em risco deixando-os sob a responsabilidade de falsos mestres astutos, mentirosos e aproveitadores?

25. Se o Universo é, por definição, tudo o que existe e engloba todos os lugares, por que tem gente que pergunta: Então de onde veio o Universo?

24. Se a Bíblia diz que Deus é onisciente e não se arrepende, por que esta mesma Bíblia diz que ele se arrependeu de sua criação?

23. Por que Deus mandou o dilúvio para eliminar o mal na Terra, mas a nova humanidade continuou má?

22. Se Deus é imutável, porque ele precisou 'mudar as regras' enviando Jesus a Terra?

21. Por que um Deus tido como 'sábio', ao invés de resolver tudo rápida e racionalmente, se tornou carne para autosacrificar-se, para satisfazer a si mesmo, para livrar sua criação de sua própria ira?

20. Por que dizem que precisaríamos vasculhar todos os lugares do Universo e não encontrar Deus para afirmar que ele não existe, quando precisaríamos somente não encontrá-lo em um lugar, visto que é 
onipresente?

19. Se Deus não causa confusão, o que dizer da torre de babel e dos milhares de facções cristãs se digladiando?

18. Cristãos dizem que na morte os bebês vão direto para o céu, então por que são contrários ao aborto nos casos de gravidez por estupro ou quando põe em risco a vida da mãe?

17. Por que Deus sendo bom permite que uma criança nasça sabendo que ela no futuro vai ser condenada ao sofrimento eterno no lago de fogo e enxofre?

16. Como Deus pode ter emoções como ciúme, raiva e tristeza, se ele é onisciente e estas são reações aos imprevistos ou frustrações de planos?

15. A Bíblia diz que as lembranças sobre o passado na Terra serão todas apagadas nos que forem salvos. O que Deus salvará se somos nossa memória?

14. Por que Deus abriu o mar vermelho para salvar os judeus do Egito, mas não abriu os portões dos campos de concentração durante a segunda guerra mundial?

13. Isaías 40:28 diz “o Senhor, o criador dos fins da terra, nem se cansa, nem se fatiga”. Então por que Moisés diz que Deus descansou no sétimo dia da criação?

12. Se alguém nasce com problemas mentais, seu espírito também tem problemas mentais?

11. Quando um velho caduca seu espírito também envelheceu?

10. Por que danos ao cérebro podem mudar a personalidade como, por exemplo, tornar um pai amoroso indiferente com os filhos, se nossa essência está no espírito?

9. Cristãos gostam de dizer que Jesus sacrificou sua própria vida por nós, mas se ele era Deus e não podia errar nem ser condenado e agora está vivo no céu como dono de tudo... O que ele sacrificou mesmo?

8. Se o design de Deus é tão inteligente, por que os homens possuem mamilos se não precisam dar de mamar?

7. Por que os cristãos dizem que certos fatos são 'planos de Deus' se planos são oriundos de mentes limitadas que tentam prever o futuro para minimizar erros?

6. Por que precisamos de um corpo material se nosso espírito pode fazer tudo o que fazemos e até melhor?

5. Se nada ocorre sem consentimento de Deus e tudo é 'plano dele', ele planejou todos os males, dor e catástrofes que ocorrem com a humanidade?

4. Se Deus concedeu o livre arbítrio por que castiga e condena os que não concordam com ele?

3. Muita gente acredita em fantasmas de pessoas e animais mortos, então por que só há relatos de fantasmas de pessoas e bichos da fauna atual, mas ninguém vê fantasmas de homo herectus, neanderthais, nem dos gigantescos dinossauros ou mamutes cuja existência é confirmada por fósseis e corpos congelados?

2. Se Jesus era filho de Deus com Maria, porque há uma árvore genealógica nos evangelhos onde Jesus é filho de José?

1. Por que a maioria dos atributos de Deus é característica da inexistência: Sem corpo, imaterial, incompreensível, invisível, imperceptível?

Ver também Crenças que Exigem Revisão, Ciência na Bíblia e Contradições Bíblicas.

Nota: A maioria das questões supracitadas foram copiadas do site Bíblia do Cético.

37 comments:

  1. erros:

    19 - deus disse para o povo ser fecundo e se espalhar pelo terra, e não se ajuntar como foi feito na torre de babel.

    9 - jesus não era deus, mais o filho dele.

    2 - jesus não era filho de deus com maria, foi concebido a jose e maria, pelo espirito santo.


    o resto é verdade, realmente a biblia tem varias falhas.

    tiro pelo exemplo dos gigantes citados na biblia.
    hoje sabemos que isso é uma mentira, pois nunca foi encontrado nenhum fossil de gigante, e as fotos que foram tiradas de fosseis de gigantes já descobrimos tambem que foram falsificadas.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Alfredo5:46 PM

      Na verdade se tem a santíssima trindade a qual descreva - se como O Pai, O Filho e O Espirito Santo, três que são igual ao Deus somente, tendo filho sendo Jesus ele seria Deus então assim na terra

      Delete
    2. 19. Deus interferiu na torre de babel por temer o que aqueles homens poderiam realizar em uniao.
      9. Sim,jesus era Deus. "No principio era o verbo, e o verbo estava com Deus, e o verbo era Deus."
      Jesus se manifestou como filho de Deus, mas antes disso ele era Deus. Leia todo o texto.
      19. Sim, jesus foi concebido pelo espirito no ventre de maria; jose nada teve a ver com isso.

      Delete
  2. Não, quem respondeu 9 e 2 não se contradizeu.
    Quem errou foi você que cortou a frase do cara e não interpretou.
    Ele disse que Jesus não era filho de Deus com Maria, mas sim filho de Deus concebido a jose e maria pelo espírito santo.

    ReplyDelete
  3. As questões:

    1- Ora, Deus é Espírito como diz a Palavra, e está fora das leis universais e naturais (que Ele implantou e mantém) e dos padrões empíricos/heurísticos determinados pelo homem em seu limitado conhecimento científico.
    Não podemos enquadrar e prender um Ser Extra-Universo, Extra-Temporal, Extra-Cognoscível, Extra-material num laboratório ou em tubos de ensaio ou em aparelhagens e equipamentos de medição e detecção.

    A discussão sobre Deus é feita no plano metafísico, afinal Deus por definição é metafísico. Deve-se ter em mente aqui que, em discussões metafísicas, não existem "provas" no sentido matemático ou científico tangíveis, mas existem argumentos filosóficos lógicos para a existência de Deus, baseados em premissas verificáveis pela razão. Assim, Ele não seria de todo incompreensível e imperceptível.

    2- "E o mesmo Jesus começava a ser de quase trinta anos, sendo (como se cuidava) filho de José," Lc 3:23.
    José era pai de Jesus por adoção. Os judeus consideravam muito a linhagem ancestral, sendo José assim como Maria "filhos" de Davi.

    3- Quem morre não volta. Mas o inimigo (diabo) engana a muitos sendo ele o "pai da mentira". Então se passa por pessoas conhecidas, familiares já mortos e se manifesta em visões malignas aos que buscam esses contatos. Mas cometem pecado de necromancia.

    4- Deus criou as criaturas boas com uma qualidade chamada livre-escolha, e é bom ser livre, mas com a liberdade vem a possibilidade do mal existir, mas as criaturas livres são responsáveis por torná-lo REAL.
    Por acaso seria justo forçar alguém a crer em Deus? Somente pelo seu próprio interesse de conhecê-lo que é a forma justa.

    Se há uma coisa que Deus respeita, e muito, é nossa INDIVIDUALIDADE, somos livres, mas responsáveis por nossas próprias decisões. Ele só vai agir em nossas vidas se pedirmos para ele interferir, e Ele jamais passa por cima de nossa razão, pois ele nos deu isso para pesquisarmos e indagarmos, não somos robôs e Ele nem quer isso. A bíblia diz “Vinde e argui-me diz o Senhor”. E ele não olha para nossa condição ou situação.

    Ora, ninguém gosta de ficar perto de pessoas que nos rejeitam. Vc moraria numa casa onde todos te rejeitassem? Assim Deus nos deixa livre para segui-lo ou não.
    Roubar dos homens sua liberdade e dignidade, levando-os à força pro céu e a contra gosto seria um "INFERNO" pra eles, já que não pertencem ao lugar onde todos adoram e amam a Pessoa que eles mais queriam evitar!
    No final só haverá dois tipos de pessoas: aquelas que dizem a Deus “que seja feita a tua vontade” e aquelas que Deus diz: ”que seja feita a tua vontade”.

    5- As mazelas, doenças, dores e sofrimentos são provocadas pelo próprio homem em seus hábitos estragados. O homem se estoura passando dos limites levando uma vida desregada e irresponsáve; e Deus é o culpado?? muito fácil culpá-lo né! pelas atrocidades DOS HOMENS!
    O próprio homem em sua ganância e exploração destroi e contamina tudo e todos; e não quer pagar o preço?

    O resto respondo outro dia se tiver tempo...

    ReplyDelete
  4. Anônimo,
    Por que então, os judeus iriam criar um Livro que não acreditassem no principal personagem dele; que é Jesus Cristo?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Cícero,

      No comentários do artigo do Alexandre "Jesus Existiu? (O Jesus Histórico)" tivemos a oportunidade de debater um pouco sobre a historicidade de Jesus. No mesmo artigo ele cita o Deus Horus, o Sol antropomorfizado dos Egípcios de 3000 a.c.que antagonizava com Seth. Você já procurou conhecer esses mitos antigos, anteriores até mesmo ao Velho Testamento? O que você me diz?

      Abraço!

      Delete
    2. Warlei,

      Eu já tinha respondido naquele artigo no primeiro comentário, indicando um link bem explicativo sobre as falácias comparativas entre Jesus e deuses pagãos como hórus.
      Mas acrescento. Tendo Moisés vivido 40 anos na mais alta corte egípcia e sério candidato a Faraó futuramente, conhecia muito bem aqueles deuses egipcios materializados e seus conceitos. E soube discernir que não eram efetivamente verdadeiros.
      Diz-se que hórus, seria o deus-sol - informação incorreta – hórus era o deus dos céus. O deus sol, a divindade máxima do Egito seria amon-rá, do qual Faraó seria a encarnação.

      Moisés contudo, abandonou toda aquela riqueza, honra e fama (o mais avançado país da época como se fosse hoje os EUA porém umas 10 X mais!) para se unir novamente ao seu povo escravizado, cuja origem, sabia pertencer ao verdadeiro Deus como manifestado no passado aos patriarcas.
      Mais tarde, teve provas reais desse Deus pelos milagres espetaculares feitos no Egito para libertar a Israel.

      Abçs.

      Delete
    3. Cícero,

      Vamos fazer um rápido brainstorming usando a Bíblia, imagine que você precise construir um mito seguindo um manual em que as profecias existentes nela sejam as premissas...

      Vejamos algumas(*):

      Nascido de uma virgem Profecia. (Isaias 7:14);
      Iria curar doenças, carregando ele mesmo nossos sofrimentos. (Isaias 53:4);
      Como servo de Deus. (Isaias 42:1-4);
      O desprezo por parte do judeus. (Isaias 53:3);
      Sua entrada triunfal em Jerusalém. (Isaias 62:11);
      Seria vendido por trinta moedas de prata. (Zacarias 11:12 e 13);
      Permaneceria em silêncio quando acusado. (Isaias 53:7; Salmos 38:13-14);
      Sofreria em substituição a nós. (Isaias 53:4-6 e 12);
      Seria crucificado com pecadores. (Isaias 53:12);
      Seu lado seria trespassado. (Zacarias 12:10);
      Seria sepultado com os ricos. (Isaias 53:9).

      O que você me diz?

      Com todo o respeito, digo que eu me sinto forçado a discordar o que muitos cristãos consideram profecias messiânicas cumpridas, pois a mim fica claro que, considerando que o mito começou a ser criado décadas depois da sua suposta existência, tudo isso me parece mais como um manual para se criar um mito do que a comprovação de cumprimento de fato. Ou seja, me parece sim que os romanos pegaram as dicas, criaram o mito e depois ainda usaram as "coincidências óbvias" para reforçar o argumento. Usando a alegação para justificar a própria alegação.

      No caso da mitologia egípcia e outras mitologias mais antigas do que a judaico-cristã, o mais interessante é justamente que existam registros. Inscrições e gravuras datáveis. E me parece razoável dizer que existam indícios de que a mitologia egípcia e outras mitologias da idade do bronze sejam no fundo a base fundamental para a teologia Judaico-Cristã. Entre alguns atributos podemos citar o batismo, a vida após a morte, o julgamento final, a ressurreição, a circuncisão, os salvadores, a comunhão sagrada, o dilúvio, a páscoa, o natal, a passagem, etc. Sendo assim, acho que sugerir que algumas alegações que as relacionam com o mito cristão sejam falácias seja tanto o quanto forte demais. Concordo que exista um certo exagero da parte de alguns que relacionam tão diretamente as coisas. E embora eu aprecie tais argumentações não as considero integralmente válidas, mas também não as ignoraria completamente.

      Até mesmo o Velho Testamento não escapa de algum plágio. Vejamos dois casos bem conhecidos:

      Sobre o Moisés, o legislador, a história da sua origem é idêntica a de Sargão de Acádia.

      ...Fundador da dinastia de Acade, Sargão reinou por 56 anos, de 2270 a 2215 A.C. ....A imagem de Sargão como um indesejado sendo colocado para flutuar num rio lembra a narrativa mais conhecida do nascimento de Moisés...

      O dilúvio está na epopéia de Gilgamesh.

      ...Gilgamesh foi o quinto rei da primeira dinastia de Uruk, datada de aproximadamente 2750 A.C. ... nesta busca o herói encontra Utnapishtim, sobrevivente de um grande dilúvio que acabou com toda a humanidade. Esta parte da história, com grande semelhança ao dilúvio narrado na Bíblia, é baseado no antigo épico acádio Atrahasis...

      Eu sei que este é um assunto espinhoso, e tão ou mais controverso do que a maioria dos temas que temos debatido por aqui. E não discuto se sejam religiões invenções humanas ou não pois a mim me parece óbvio que sejam. Mas gosto de história, e me interessa saber o quão original e o quão inteligentes e articulados foram seus inventores.

      Fonte das citações: Wikipédia (artigos válidos, sem alertas, isentos e com referências)

      *Se quiserem saber mais sobre as profecias existem uma longa e repetitiva lista delas em "Profecias Messianicas Cumpridas".

      Delete
    4. Alfredo10:09 AM

      Cícero por acaso você sabe que não foi os Judeus que criaram a Bíblia né? Foram os romanos numa cúpula de bispos os quais não se sabe de qual critério qual livro entraria, não é a toa que Bíblia ainda era em grego, e tal foi uma cúpula e que está vinha de homens comuns e que nem se quer são citados na bíblia como haverei de dizer que está venha a ser uma palavra direta de Deus e se sendo considerar que são mediante tal palavra divina aos outros livros na disputa e que vieram a escolha para original e os excluídos da bíblia dos protestantes não seriam palavra de Deus e se fora por que tal exclusão? Sagrado que roda em torna da Bíblia me intriga e a sua forma de vela quando se trata de três formas para poder aceita - la, determinados versículos são lidos ao pé da letra outros são interpretados e outros são submetidos a entendimento apenas da cultura da época, sendo assim o sexo antes do casamento seria apenas uma forma da cultura desses antepassados? E o fato da mulher quando menstruada, como citada na Bíblia, deveria ser excluir da sociedade por uma semana e quem toca - la estaria "sujo" como ela naquele período? Ou que a mesma não deveria falar nos templos e apenas perguntar ao marido depois e este deveria também lhe ensinar sobre tudo, por que isso é apenas interpretado como cultura quando o sexo antes do casamento não? Por já escrito o que Deus faz não faz sentido ao homens, mesmo que muita gente grita ter entendido o sentido pra vida dele, mas mais que isso é a forma pela qual cada um cristão, evangélico, católico ou seja que for interpreta e o mais ridículo como todos conflitam para dizer quem está mais certo. O quão todos fazem bom uso dessa palavra todos ficando loucos para mostra qual é o melhor ou maior ideal, deve ser por isso que aparecem ateus ou agnósticos não pela incompreensividade da Palavra mas a incompreensão dela causada nos Homens. Na Bíblia é tudo muito bonito mas nos tempos de hoje não existe mais ninguém de tamanha que que mova montanhas ou que Deus converse como as figuras tão santas além de Jesus que é filho e ao mesmo tempo Deus.

      Delete
    5. Warlei,

      1. Não haveria o menor sentido, lógica e coerência os romanos? criarem e divulgarem o mito judaico? sob pena de correrem sério risco de verem seu domínio ameaçado por esse mito revolucionário.
      Por que razão os romanos defenderiam um Messias judaico revolucionário? tais romanos seriam duramente punidos pelo imperador, considerado o deus único a ser temido e adorado!

      Cristo era judeu e cumpriu a promessa do Judaísmo da vinda do Messias em mais de 300 itens. Depois seus seguidores tornaram-se cristãos da "seita" O Caminho cfe. está em Atos. Se realmente fosse tudo um mito e nenhum homem vivendo chamado Jesus, tivesse cumprido tais profecias, por que o Cristianismo é hoje o maior movimento mundial? e os próprios judeus messiânicos?? como explicar sua existência?? estariam então negando suas próprias Escrituras das quais são exímios pesquisadores/estudiosos??

      Os depoimentos são esmagadores no mundo todo de milagres e bençãos através de Cristo. Onde o cristianismo do evangelho simples de Jesus chega; (não uma religião) há transformações profundas nas pessoas e no meio. Eis a grande diferença!

      Não é por menos que muitos hindus e muçulmanos estão se convertendo a Cristo; com ou sem perseguição ou escondidos. Porque descobriram a muito tempo o vazio de suas religiões originais.
      A fé cristã se materializa em obras altruístas sociais e vidas transformadas.
      Repito, se Cristo fosse um mito já teria sido esquecido a tempo e seria apenas mais um entre tantos, sem nenhum poder transformador
      Um "mito" teria tamanho poder e influência até hoje??!!... pense com neutralidade. Ou seria tudo uma conspiração dos crentes para enganar os ateus??!!

      2. "alguns atributos podemos citar o batismo, a vida após a morte, o julgamento final, a ressurreição, a circuncisão, os salvadores, a comunhão sagrada, o dilúvio, a páscoa, o natal, a passagem, etc."

      Ainda que alguns desses atributos (não todos) possam coincidir com as Escrituras hebraicas-cristãs, contudo, aspectos peculiares e detalhes relevantes entram em conflito com esses atributos pagãos, quando analisados rigidamente pelas regras hermenêuticas de interpretação e contextos comparativos da Bíblia...

      Delete
    6. ...3. O que se sabe de Sargão vem quase inteiramente de lendas escritas muitas centenas de anos após a sua morte. Há muito poucos registros contemporâneos da vida de Sargão. A lenda da infância de Sargão, como ele foi colocado em uma cesta e enviado por um rio, vem de duas tabuletas cuneiformes do 7 º séc. AC (da biblioteca do rei assírio Assurbanipal, que reinou 668-627 AC), escritas centenas de anos após o livro de Êxodo. Se alguém quiser argumentar que uma narrativa copiou de outra, teria que ser o contrário: a lenda de Sargão parece ter copiado do Êxodo de Moisés.
      Seu texto original encontra-se permeado de antigos termos técnicos egípcios que não faziam parte do vocabulário hebraico, muito menos do babilônico usado após o exílio.

      A maior prova no entanto, está no nome do herói em si. Moisés, longe do que deveria ser, caso se tratasse de uma lenda semita, não é um nome hebraico, mas sim egípcio!

      4. O fato é que o Dilúvio é citado por vários povos antigos em todo o mundo e não somente pelo povo hebreu. Portanto, é mais uma prova de sua REALIDADE e não um mito.
      Se fosse mito, não poderia ser o mesmo "mito" em várias culturas de vários lugares. Por que sempre um dilúvio universal e não outro evento de destruição? tipo: fogo ou raios ou pedras do céu ou doenças ou guerras sei lá. Mas se nunca houve um Dilúvio porque fazer referências a ele?
      Os eventos com semelhanças superficiais nas várias culturas pagãs indicam uma mesma base histórica, em vez de indicar plágio por parte de Moisés.
      Mas em Gênesis é mais realista e menos mitológica somente ali é descrito os eventos de forma cronológica, o que indica a história original; escrito tipo um jornal ou diário de bordo dos eventos. As outras seriam cópias.

      E nos mitos pagãos os heróis recebem imortalidade e louvor; ao passo que a bíblia descreve o pecado de Noé. Somente a versão original que diz a verdade incluiria tal falha em seu herói.
      Os mitos dizem que a chuva durou só 7 dias; o que não seria suficiente para a inundação global.
      No conto babilônico o barco era de formato cúbico, o que não poderia salvar ninguém! e a idéia babilônica de que toda a água sumiu em um dia é absurda!
      Assim, Gênesis seria a história real e verdadeira e as outras relatos distorcidos e falhos.

      Sds.

      Delete
    7. Alfredo,
      O que determinou a canonicidade (inspiração) da Bíblia é:
      1. O Cristianismo veio do MONOTEÍSMO judaico já editado e não de decisões de bispos romanos como alegas. O Antigo T. confirma o Novo T. e vice-versa.
      2. Se não fosse provado que um livro era de autoridade de um APÓSTOLO (judeu), era logo descartado.
      3. Houve certos livros que estavam na iminência de serem incluidos no cânon, mas não tinham suporte de autoridade de um apóstolo ou cunho profético sendo considerados apócrifos.
      4. Vários séculos se passaram antes de haver conhecimento de todos os livros canônicos pelos concilios de Hipona (393) e Cartago(397).
      Alguns livros que mais tarde foram incluidos no canon tiveram que aguardar um tempo considerável antes de obter reconhecimento. Foi um processo gradual, assim como a ciência se desenvolve gradualmente ainda hoje.
      Mas tais concílios apenas fizeram o reconhecimento posterior, mais amplo, e final aos fatos de que Deus inspirara os livros já existentes e o povo de Deus aceitara.

      Delete
    8. Alfredo11:50 AM

      Quer dizer que somente Judeus podiam ter a confirmação de autoridade, é realmente pelo jeito o judeus é realmente é mais correto mesmo, o mais apreciado a Deus mesmo, sendo que todos alegam que Ele apresenta um comportamento igualitário, e que Ele pode se manifestar em todos, mas no caso somente o judeus tem uma superioridade ou uma preferencia a Ele para se manifesta em canônicos, poxa realmente super justo e coerente não?
      Você já percebeu não da Bíblia e não pensa por si? E que até ver as contradições mas é obrigado e aceita simplesmente que é incompreensível a nós porém muitos dizem que Deus é racional, ainda mesmo sem logica ou sentido. Você realmente faz coisas boas apenas por interesse de não ir para o inferno ou ir para o céu? Não dá para partir de você? E realmente sou condenado uma vez que faço uma coisa boa ou coisa má através somente por influencia? Seria eu neutro por natureza e que ao dar ouvido o errado eu não teria sido apenas fraco? E por ser fraco serei condenado? Ainda que diga que todos são fortes, então por que há suicidas? Como evangélico eu tenho que simplesmente aceitar o que tá escrito sem questionar se não é heresia da minha parte...

      Alegamos ter uma entidade perfeita num universo imperfeito, pra que motivo não há, estranho que antes de nós Ele não poderia ter os elogios e predicativo que leva, antes não havia nada e ele por nada criar não era nada, Ele se entediou do nada e resolveu criar vidas e que num futuro irá simplesmente destruí - la numa ira sobre nós. Por que? Teria Ele abusado de nós? Todas as religiões empoem um fim apocalítico por citarem um começo. Evangélicos afirmam que a vida em Deus lhe tará tudo, quando você vê não é assim e evangélico diz depois que a vida em Deus é difícil, e assim você virá talvez nem feliz mas se manterá assim por que Ele quer e você se apoiará pela seu desejo de eternidade e que seja no céu.
      Não se pode simplesmente morrer e acabar ali, não vejo graça na eternidade e acho que nem Deus vê. Complicado a Ele sempre existir, simplesmente existir e vive a simplesmente a ouvir os homens a lhe elogiar e agradecer...

      Delete
    9. Alfredo,
      me desculpe, mas está difícil entender seus textos. Vc não põe vírgula e sua concordância está ruim para decifrar.
      Afinal o que vc me pergunta? seja direto.

      Quanto aos escritores bíblicos eram todos judeus e daí? qual o problema?

      Delete
  5. Alfredo10:22 AM

    Uma ressalva sobre Jesus muitos dizem que ele era um homem comum, mesmo sendo Deus, andar nas águas, curar doentes, cegos, aleijados além de falar com próprio Deus, maldiçoar árvores, ressuscitar pessoas. É né utilize ele pra se comparar quando você não faz um terço que ele poderia fazer. Apenas aprenda com ele e admita realmente que você é falho mesmo, tantos sofrem por serem mais fracos, por que este veio escolher a ser fraco? Não seria por que este é fraco e foi criado assim, se não de outra maneira não haveria suicidas... Fracos sim quando pecam ao tirar própria vida por talvez como cristão dizem Deus está testando, quando testa demais já é o Diabo, mas se esta foi testado por Deus ele não deveria ser protegido? E enquanto os homossexuais que cada vez mais jovens e em famílias heterossexuais e até mesmo cristãs demonstram os trejeitos de um afeminado, como falado na Bíblia, uma pessoa dessa forçada a viver com uma mulher não virá a ter prazer não amará verdadeiramente, dizer que a isto sendo que não é não estaria pecando já que seria uma mentiria, enganado a Deus e o mundo em prol da salvação? (Ainda por cima se faz por interesse uns para não ir ao inferno outros para irem para o céu, por que não fazer por si somente, precisa sempre ganhar algo para assim ser) Duvido se não houvesse céu alguém queria ver o criador, deveria ter menos hipocrisia e poderem dizer que querem fazer algo por ter pensado por si só e não por terem sido influenciados então assim fora o homem é neutro por assim ser não ter vindo nada dele mas assim persuadido por Deus ou enganado pelo Diabo...

    ReplyDelete
  6. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  7. Cícero,

    Não haveria o menor sentido, lógica e coerência os romanos? criarem e divulgarem o mito judaico? sob pena de correrem sério risco de verem seu domínio ameaçado por esse mito revolucionário.
    Por que razão os romanos defenderiam um Messias judaico revolucionário? tais romanos seriam duramente punidos pelo imperador, considerado o deus único a ser temido e adorado!


    Bem Cícero, de certo modo o considero ingênuo as vezes, sem ofensa. Digo isso porque você parece não ter entendido ainda a função política da religião, e também as vezes parece ignorar os contextos históricos. Razões os romanos tiveram, e muitas, mas não estão questão, até porque tomaria muito tempo e mereceriam um artigo, ou talvez mais. Entretanto, não importa o quando alguns cristãos fiquem desgostosos, os fatos apontam para esta realidade.

    Cristo era judeu e cumpriu a promessa do Judaísmo da vinda do Messias em mais de 300 itens. Depois seus seguidores tornaram-se cristãos da "seita" O Caminho cfe. está em Atos. Se realmente fosse tudo um mito e nenhum homem vivendo chamado Jesus, tivesse cumprido tais profecias, por que o Cristianismo é hoje o maior movimento mundial? e os próprios judeus messiânicos?? como explicar sua existência?? estariam então negando suas próprias Escrituras das quais são exímios pesquisadores/estudiosos??

    O mito Jesus Cristo pode ter tido suas origens em alguma ceita judaica, mas o fato é que os romanos é que o tornaram o fenômeno de popularidade que ainda persiste. Então, considerando que Jesus Cristo tenha sido um mito patrocinado pelo mais poderoso império da história não é de se surpreender a sua sobrivência (do mito) ao longo do tempo. Portanto, se aceitarmos o fato de que o mito fora inventado, sendo todas as profecias previamente conhecidas ele terá sido construido de modo a satisfaze-las! Isso me parece muito lógico.

    Os depoimentos são esmagadores no mundo todo de milagres e bençãos através de Cristo. Onde o cristianismo do evangelho simples de Jesus chega; (não uma religião) há transformações profundas nas pessoas e no meio. Eis a grande diferença!

    Sobre as culturas dominadas por novas religiões, se você visitar países que foram convertivos ao islamismo eles dirão o mesmo, muitos já se esqueceram que eles possuiam valores morais, muitas vezes até mais éticos e justos do que os da religião. Já evidências anedóticas, você sabe, nem discuto.

    Não é por menos que muitos hindus e muçulmanos estão se convertendo a Cristo; com ou sem perseguição ou escondidos. Porque descobriram a muito tempo o vazio de suas religiões originais.
    A fé cristã se materializa em obras altruístas sociais e vidas transformadas.
    Repito, se Cristo fosse um mito já teria sido esquecido a tempo e seria apenas mais um entre tantos, sem nenhum poder transformador
    Um "mito" teria tamanho poder e influência até hoje??!!... pense com neutralidade. Ou seria tudo uma conspiração dos crentes para enganar os ateus??!!


    Não se iluda mais uma vez! A fé que mais se prolifera no mundo é a islâmica. Infelizmente uma vertente ainda mais nociva das religiões abraâmicas. Cristo, o mito, repito, só teve importânica histórica por causa da sua origem Romana. O homem, jamais se provou ter existido.

    continua...

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ao que me consta Zeus (Grécia) teve fim porque no final do século IV seu culto foi proibido pelo Império Romano, não porque os gregos de repente caíram na real. Convenhamos que soa político Roma trocar Júpiter por Deus. Ou será que os romanos conheceram de Cristo coisas extraordinárias nunca experimentadas por meio dos deuses hoje mitológicos?

      Detalhe pertinente: após 1.600 anos, Zeus volta a ser adorado em templo grego. (Estadão, 21/01/07)

      Delete
  8. "alguns atributos podemos citar o batismo, a vida após a morte, o julgamento final, a ressurreição, a circuncisão, os salvadores, a comunhão sagrada, o dilúvio, a páscoa, o natal, a passagem, etc."

    Ainda que alguns desses atributos (não todos) possam coincidir com as Escrituras hebraicas-cristãs, contudo, aspectos peculiares e detalhes relevantes entram em conflito com esses atributos pagãos, quando analisados rigidamente pelas regras hermenêuticas de interpretação e contextos comparativos da Bíblia...


    Isso foi apenas para demostrar a falta de autenticidade, de originalidade da religião judaica e por consequencia de suas herdeiras teológicas. Conforme você mesmo disse anteriormente, o Egito era 10x mais poderoso do que os EUA nos dias de hoje. Agora pergunto: Se os EUA com uma importância relativa 10x menor consegue influenciar o mundo de tal maneira nos dias de hoje, imagine o quando a cultura egípcia não influenciaria as outras menos importantes naquele tempo? Sobre a hermeneutica é muito bonito falar essas coisas, eu entendo, mas Segundo o filósofo alemão Feuerbach, estudioso do cristianismo, a hermenêutica teológica é uma alternativa enganosa do cristianismo e um engano mental, e concordo plenamente com ele. Em português claro, é uma técnica de interpretação usada para dar nó no cérebro, e tentar explicar o que não tem explicação, justificar o que não tem justificativa e levar coerência ao que é notávelmente incoerente.

    continua...

    ReplyDelete
  9. O que se sabe de Sargão vem quase inteiramente de lendas escritas muitas centenas de anos após a sua morte. Há muito poucos registros contemporâneos da vida de Sargão. A lenda da infância de Sargão, como ele foi colocado em uma cesta e enviado por um rio, vem de duas tabuletas cuneiformes do 7 º séc. AC (da biblioteca do rei assírio Assurbanipal, que reinou 668-627 AC), escritas centenas de anos após o livro de Êxodo. Se alguém quiser argumentar que uma narrativa copiou de outra, teria que ser o contrário: a lenda de Sargão parece ter copiado do Êxodo de Moisés.
    Seu texto original encontra-se permeado de antigos termos técnicos egípcios que não faziam parte do vocabulário hebraico, muito menos do babilônico usado após o exílio.

    A maior prova no entanto, está no nome do herói em si. Moisés, longe do que deveria ser, caso se tratasse de uma lenda semita, não é um nome hebraico, mas sim egípcio!


    O interessante Cícero, é que existam indícios, objetos, e registros relativos não somente a este, como diversos outros personagems históricos, mitos ou não. Já dos personagens bíblicos adivinhe? Só na Bíblia.

    4. O fato é que o Dilúvio é citado por vários povos antigos em todo o mundo e não somente pelo povo hebreu. Portanto, é mais uma prova de sua REALIDADE e não um mito.
    Se fosse mito, não poderia ser o mesmo "mito" em várias culturas de vários lugares. Por que sempre um dilúvio universal e não outro evento de destruição? tipo: fogo ou raios ou pedras do céu ou doenças ou guerras sei lá. Mas se nunca houve um Dilúvio porque fazer referências a ele?
    Os eventos com semelhanças superficiais nas várias culturas pagãs indicam uma mesma base histórica, em vez de indicar plágio por parte de Moisés.
    Mas em Gênesis é mais realista e menos mitológica somente ali é descrito os eventos de forma cronológica, o que indica a história original; escrito tipo um jornal ou diário de bordo dos eventos. As outras seriam cópias.

    E nos mitos pagãos os heróis recebem imortalidade e louvor; ao passo que a bíblia descreve o pecado de Noé. Somente a versão original que diz a verdade incluiria tal falha em seu herói.
    Os mitos dizem que a chuva durou só 7 dias; o que não seria suficiente para a inundação global.
    No conto babilônico o barco era de formato cúbico, o que não poderia salvar ninguém! e a idéia babilônica de que toda a água sumiu em um dia é absurda!
    Assim, Gênesis seria a história real e verdadeira e as outras relatos distorcidos e falhos.


    Mais uma vez você usa a alegação para justificar a alegação, o que está escrito na Bíblia para justificar o que ela diz. O mais interessante é que em momento você diz que eles confirmam o que a Bíblia alega e em outro momento você diz que eles não são verossímeis por motivos diversos. Baseando-me em sua análise concluo que quem escreveu Patenteuco deu então corrigida boa em alguns argumentos. Nem entro nessa questão, pois, a meu ver, as coincidências de relatos de mitologias mais antigas do que a judaico-cristã, apenas evidenciam que elas tenham sido copiadas e não o contrário. Evidenciam que tudo é mitologia, invenção, e um copiou do outro. Você confia que a história da Bíblia seja verídica não pela razão, mas pela crença. Não por evidências, mas por conclusão.

    Abraço!

    ReplyDelete
  10. Desculpem-me, não sou disléxico mas as vezes troco as letras e as sílabas ao digitar, e acaba sendo publicado quando o faço sem revisar.

    Onde eu disse: não importa quando alguns...
    Leia-se: não importa quanto alguns...

    E onde escrevi: Patenteuco...
    O correto é: Pentateuco.

    ReplyDelete
  11. Warlei,
    Razões os romanos tiveram, e muitas, mas não estão questão, até porque tomaria muito tempo e mereceriam um artigo, ou talvez mais. Entretanto, não importa o quando alguns cristãos fiquem desgostosos, os fatos apontam para esta realidade.

    Seu argumento é totalmente nonsense e frontalmente contrário aos fatos da história geral da época e do Cristianismo primitivo.
    Os romanos assim como os judeus, aplicaram severa perseguição aos cristãos nos primeiros anos/décadas/séculos do Cristianismo nascente.
    Estude história meu caro. Pesquise o que os imperadores até o séc. 4 faziam aos cristãos!
    Ou será que os espetáculos nas arenas e martirios de incontáveis cristãos também são MITOS??!!

    O império romano era tolerante com as religiões locais de povos conquistados, mas jamais iriam admitir um Messias Rei do Universo e Deus Único Salvador como o revolucionário Jesus invocava para si!
    Romanos que apoiassem tal disparate seria imediatamente executados pelo imperador; este sim; o deus máximo a ser adorado; que os cristãos jamais fizeram. Logo, a perseguição feroz era inevitável.

    Então, considerando que Jesus Cristo tenha sido um mito patrocinado pelo mais poderoso império da história não é de se surpreender a sua sobrivência (do mito) ao longo do tempo.

    Non sequitur! Se no séc. I o Império Romano tivesse patrocinado o Cristianismo; a história (ou mitos!) das perseguições não existiria! mas isso é FATO.

    Sobre as culturas dominadas por novas religiões, se você visitar países que foram convertivos ao islamismo eles dirão o mesmo, muitos já se esqueceram que eles possuiam valores morais, muitas vezes até mais éticos e justos do que os da religião.

    Há um abismo de diferenças entre o islamismo e o cristianismo. O islã que significa submissão prega o ódio generalizado e morte contra os "infiéis" por sua lei sharia.
    O islamismo é opressor, dominador. Alá ordena que os muçulmanos aterrorizem os não muçulmanos em seu nome:
    “Eu instilarei terror nos corações dos infiéis, golpeai-os acima dos seus pescoços e arrancai todas as pontas dos seus dedos. Não fostes vós quem os matastes; foi Deus” (Sura 8:13-17).
    “Imprimi terror [nos corações dos] inimigos de Deus e vossos inimigos” (Sura 8:60).
    Bem diferente dos ensinos exarados no Novo Test.

    Cristo, o mito, repito, só teve importânica histórica por causa da sua origem Romana. O homem, jamais se provou ter existido.

    Falácia descabida! os romanos queriam destruir os cristãos nos primeiros séculos.
    Se Jesus não existiu, poderíamos facilmente duvidar de todos os personagens famosos da história antiga. Pois Cristo possui muito mais registros que vários deles.

    imagine o quando a cultura egípcia não influenciaria as outras menos importantes naquele tempo?

    Moisés teve todo o conhecimento disponível do Egito, contudo não se deixou influenciar por isso, pois sabia que seu Deus era o verdadeiro.

    ReplyDelete
  12. a hermenêutica teológica é uma alternativa enganosa do cristianismo e um engano mental, e concordo plenamente com ele. Em português claro, é uma técnica de interpretação usada para dar nó no cérebro, e tentar explicar o que não tem explicação,

    As regras hermenêuticas tem a ver com qualquer texto de qualquer tipo de qualquer literatura. Para a bíblia não é diferente, pois ela defende-se a si mesma, usando seus textos comparando-os com outras passagens.
    No caso em debate sobre o suposto plágio do deus Hórus as discrepâncias são muitas:
    • Hórus nasceu durante o mês de Khoiak (outubro/novembro) e a Bíblia não menciona a data exata do nascimento de Cristo.
    • Não há qualquer registro de magos visitando Hórus em seu nascimento.
    • Hórus não é um "salvador" de qualquer forma e nunca morreu por ninguém.
    • Não há relatos de Hórus sendo um professor aos 12 anos de idade.
    • Hórus não foi "batizado".
    • Hórus não tinha um "ministério".
    • Hórus não tinha 12 discípulos.
    • Hórus não havia sido traído por nenhum amigo.
    • Hórus não morreu por crucificação. Há vários relatos da morte de Hórus, mas nenhum deles envolve a crucificação.
    • Não existe nenhum relato de Hórus sendo sepultado por três dias.
    • Hórus não foi ressuscitado. Não existe nenhuma narrativa de Hórus saindo do túmulo com o mesmo corpo de quando entrou. Alguns relatos narram Hórus/Osíris sendo trazidos de volta à vida por Ísis e sendo o senhor do submundo.

    Assim, a comparação entre Jesus e Hórus é totalmente falaciosa, sem fundamento e irreal.

    O interessante Cícero, é que existam indícios, objetos, e registros relativos não somente a este, como diversos outros personagems históricos, mitos ou não. Já dos personagens bíblicos adivinhe? Só na Bíblia.

    Mais uma vez vc está totalmente equivocado meu caro!
    Além da Bíblia; que também é um registro histórico; temos a descoberta das tábuas de Ebla-atual Síria- datadas em torno de 2300 AC. O povo de Ebla acreditava na criação a partir do nada. Ali contém nomes das cidades de Ur, Sodoma, Gomorra e deuses pagãos citados na bíblia como Baal, além de nomes como ADÃO, EVA e NOÉ e antecede o registro babilônico em 600 anos.
    Tabletes de argila sumérios expostas no Museu Britânico registram a confusão de línguas de acordo com o registro da torre de Babel, também os babilônios tem registros similares.
    Achados na mesopotâmia, nas bibliotecas das cidades de Nuzi e Mari, descrevem os costumes patriarcais como os praticados por Abraão.

    Também uma inscrição do faraó Merneptá no século 13 AC nas paredes de Karnak faz menção a Israel já como um povo de Canaã, cfe. os relatos de Moisés. Assim, já tinham atravessado o mar vermelho.
    Eu poderia citar inúmeras outras descobertas arqueológicas confirmando vários eventos bíblicos.

    Mais uma vez você usa a alegação para justificar a alegação, o que está escrito na Bíblia para justificar o que ela diz. O mais interessante é que em momento você diz que eles confirmam o que a Bíblia alega e em outro momento você diz que eles não são verossímeis por motivos diversos.

    Os relatos extra-bíblicos tem uma base comum; que seria o Dilúvio com evidências históricas, paleontológicas e geológicas ao redor do mundo; porém muitos detalhes não são cientificamente válidos de tais relatos.
    No oriente médio antigo, a regra é que relatos dão lugar a lendas elaboradas, mas não o inverso.
    Assim, a evidência apóia a posição de que Genesis não é mito transformado em história. Antes, os relatos extrabíblicos eram história transformada em mitos.

    pois, a meu ver, as coincidências de relatos de mitologias mais antigas do que a judaico-cristã, apenas evidenciam que elas tenham sido copiadas e não o contrário. Evidenciam que tudo é mitologia, invenção, e um copiou do outro. Você confia que a história da Bíblia seja verídica não pela razão, mas pela crença. Não por evidências, mas por conclusão.

    Sua interprestação. Uso todos os recursos que a ciência dispõe para mostrar as provas/evidências da verdade bíblica como fato real.

    Sds.

    ReplyDelete
  13. Cícero,

    Vamos numerar e resumir para não ficar longo demais:

    1 - Seu argumento é totalmente nonsense...

    Poderia repetir a sentença anterior a esta, mas aceito o seu juízo, em vista da sua necessidade de sustentar seu mito. É obvio que não tive interesse em me prolongar nesse ponto. Meu convite para um brainstorming era para se fazer um exercício de lógica. E acho que você não entendeu ou nem tentou, porque teria que admitir honestamente o quão óbvio seja a minha alegação.

    2 - Non sequitur! Se no séc. I...

    É muita má vontade de sua parte querer ignorar o fato histórico de que o cristianismo tenha prosperado somente, e tão somente pela influência de Roma. Não vejo nesta afirmação autoridade para convidar quem quer que seja a estudar história. Pois neste caso ela convenientemente não lhe serve.

    3- Há um abismo de diferenças entre o islamismo e o cristianismo...

    Note que não tratei das diferenças entre as religiões, na minha visão nenhuma é melhor do que outra, apenas seus seguidores as consideram assim, como sempre. Mas refutei a sua alegação de que a sua religião seja uma benção para as sociedades humanas. Para o crente, como você, seja qual for a religião ou o deus, a sua religião será a verdadeira e a melhor entre todas. Consequência da dicotomia inerente a doutrinação.

    4 - Falácia descabida! Os romanos queriam destruir os cristãos nos primeiros séculos...

    Impressiona-me a sua persistência em afirmar algo sem evidências e acusar quem expõe os fatos de mentir. Apresente-nos então por favor as evidências de que Jesus tenha existido, de que ele não tenha sido um mito fomentado e mantido pelos romanos.

    5 - Moisés teve todo o conhecimento disponível no Egito, contudo...

    Entendi. Quer dizer que neste ponto os egípcios perdem convenientemente toda a importância? Óbvio que sendo o Moisés um personagem bíblico, inventado milênios após a cultura egípcia já imperar naquela região, teria tido todo o conhecimento disponível do Egito, não lhe parece lógico?

    6 - As regras hermenêuticas tem a ver com qualquer texto...

    Não! Existem hermenêuticas e hermenêuticas. A cristã tem uma maneira muito própria (conveniente) de tratar as escrituras, pelos motivos que já expus anteriormente.

    7 - No caso em debate sobre o suposto plágio do deus Hórus as discrepâncias são muitas...

    Bem, convido a todos a ler este artigo: Religiao do Egito - A Religião do Egito de 4400 a.c. e semelhanças com o Cristianismo
    Esclareço que não me referi somente a Hórus. Visto que mitologias anteriores ao judaísmo e o cristianismo espalhadas por toda aquela região carregavam muitos atributos e histórias similares as contadas na Bíblia.

    8 - Mais uma vez vc está totalmente equivocado meu caro!...

    A Bíblia é um livro de lendas, não sendo tratada pela historiologia como fonte de pesquisa ou como um documento histórico, no sentido estrito da expressão. O restante das suas alegações jamais passaram pelo crivo da Alta Crítica.

    9 - Sua interpretação. Uso todos os recursos que a ciência dispõe para mostrar as provas/evidências da verdade bíblica como fato real.

    Não Cícero! A ciência não se presta a esse papel. E a bem da verdade, não tem interesse em fazer o contrário. Mas querendo ou não a verdadeira contribuição histórica dela tem sido no sentido de refutar as alegações das religiões, não somente a sua, mas todas elas. A verdadeira ciência, aquela praticada nos centros acadêmicos e nas instituições mais respeitadas do mundo, não produziram um até o presente momento um elemento sequer que corrobore suas afirmações. As religiões e os religiosos é que sempre tentam se apropriar sorrateiramente dos resultados dos empreendimentos da ciência e desvirtuá-los para se adequar aos seus propósitos.

    Abraço!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Warlei,

      1. Não tem nada a ver nem com lógica, e sim com fatos reais históricos bem documentados por historiadores da época e contemporâneos.
      Ou nunca ouvista falar de Nero e imperadores posteriores como Trajano, Diocleciano, Domiciano perseguindo severamente os cristãos? Negar algo por seu desejo pessoal não faz deste algo inexistente.
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Persegui%C3%A7%C3%A3o_aos_crist%C3%A3os

      2. Meu caro, esta é a sua crença, baseada em sua fé pessoal ateísta e não a Verdade. Vc ignorar esta verdade por seu orgulho e dura cerviz e não admitir os fatos devidamente documentados nos primeiros séculos da era cristã, é nadar contra as provas e evidências bem registradas em qualquer Instituto/Universidade/disciplina de história.

      3. As bençãos e benefícios que o Cristianismo traz às sociedades são inúmeras bem evidentes e reais. Isso é FATO!
      Kenneth Scott Latourette, Sterling Professor, Universidade de Yale disse:

      "O cristianismo tem sido o meio de reduzir mais idiomas para escrever do que ter todos os outros fatores combinados. Ele criou mais escolas, mais teorias da educação, e sistemas mais do que qualquer outra força. Mais do que qualquer outro poder na história, ele impulsionou homens para lutar contra o sofrimento, se esse sofrimento vem de guerra, doenças ou desastres naturais. Ele construiu milhares de hospitais, inspirou o surgimento da enfermagem e profissões médicas, e promoveu o movimento para a saúde pública, ao combate e prevenção da fome. Apesar de explorações e conquistas, as quais eram, em parte, o seu desdobramento levou à escravização de africanos para as plantações das Américas, homens e mulheres cujas consciências foram despertadas pelo cristianismo e cuja vontade encorajou a trazer a abolição da escravatura (na Inglaterra e na América do Norte). Homens e mulheres movidos e sustentados de forma similar escreveram leis das provisões de Espanha e Portugal para aliviar a cruel exploração dos índios do Novo Mundo."

      E acrescento: a criação de centros de recuperação para dependentes químicos, creches, orfanatos, asilos, sacolões, aconselhamentos, outras tipos de assistencias.

      4. Cristo é citado historicamente por 42 autores numa sucessão de 150 anos. 9 autores tradicionais do Novo Test. 20 escritores cristãos fora da bíblia, 4 escritores heréticos e mais 9 fontes não cristãs. Mas naturalmente são todos falsos ou inventados não é mesmo! quem citou Jesus Cristo no passado é um grande mentiroso!

      Comparado por exemplo, com Alexandre o Grande, que tem apenas 2 biografias mais antigas escritas por Adriano e Plutarco depois de mais de 400 anos após a morte de Alexandre, sua história ficou quase intacta nos primeiros 500 anos. Mas ninguém duvida do "mito" de Alexandre que perde vergonhosamente para as citações e comprovações históricas de Jesus.

      5. Mesmo nascendo no Egito com nome egípcio não foi obrigado a se submeter a religião e costumes egipcios. Assim como hoje ninguém é obrigado a ser cristão ou ateu.

      Delete
    2. 6. A bíblia pode ser lida e entendida por qualquer pessoa de qualquer época de qualquer nação, sem segredos ocultos difíceis, mas segue um padrão de textos e contextos interpretativos naturais, racionais e lógicos como qualquer publicação. Por isso é um Livro singular - o mais lido, vendido, amado e odiado do mundo! sendo esta singularidade uma das evidências de sua veracidade.

      7. No link não achei nada que ligasse diretamente a Jesus.
      Mas posso fazer várias comparações de algumas características de Jesus com personagens da história antiga ou deuses pagãos, forçando a barra numa ginástica metafórica mirabolante e criativa.
      Posso compará-lo com Aristóteles, com Buda, com César, com Ramsés II, com atributos benéficos dos supostos deuses pagãos e assim vai...

      8. Se fosse mera lenda, já teriam esquecido esse Livro a muito tempo.
      Amos Frumkin géologo e professor da Universidade Hebraica de Jerusalém, afirma que a bíblia pode ser considerada um dos guias mais valiosos para a pesquisa científica.
      O renomado arqueológo historiador Nelson Glueck e outros não menos importantes que ainda hoje são referências em arqueologia, representam uma escola de pensamento que puseram suas pás a serviço da Bíblia.
      Glueck, escreveu: “Pode-se afirmar categoricamente que até hoje nenhuma descoberta arqueológica contradisse qualquer informação dada pela Bíblia”.

      A alta crítica aborda a bíblia com desconfiança e emprega uma pressuposição anti-sobrenatural equivante a um preconceito do tipo "culpado" até que prove o contrário.
      Promovem uma agenda cética com pouca ou nenhuma consideração pela verdade.
      De forma discriminatória já começam seu trabalho com a intenção de subverter a autoridade, inerrância e o ensinamento das Escrituras baseado em pressuposições filosóficas naturalistas com clara petição de princípio - ipso facto - e preconceito anti-sobrenaturalista.
      Mas por que só eles deveriam estar certos, e outros renomados historiadores que atestam a Escritura errados??

      9. “Somente um principiante que não sabe nada sobre ciência diria que a ciência descarta a fé. Se você realmente estudar a ciência, ela certamente o levará para mais perto de Deus.”
      James Tour – Nanocientista.

      Sds.

      Delete
    3. This comment has been removed by the author.

      Delete
    4. Cícero,

      1,2 - Claro que tem haver com lógica. Não se apegue a detalhes e se furte a analisar com isenção. No caso, você se apega aos romanos mas e deixa a lógica para trás. O livro que citei por exemplo, o de Isaías, estima-se que tenha sido escrito em meados de 750 a.c. e este, juntamente com os outros montam o arquétipo do messias. Que viria a ser usado posteriormente para se criar o personagem mítico. A lógica é a que segue: Após a ocupação romana - não prevista por nenhum profeta, e nem por Deus - surgiram, com base nas profecias antigas, dezenas de malucos e oportunistas candidatos a messias. A grande maioria deve ter desistido da ideia ou se dado muito mal. Após este período a rádio peão começa a construir o mito, transmitindo verbalmente alegações de que fatos extraordinários tenham ocorrido, muitos deles de acordo com o que estava escrito nas profecias. Pois bem, o mito cresce e se espalha, e apenas cerca de quarenta anos depois (quarenta anos de rádio peão) alguém resolve escrever as lendas. Com efeito a ceita cristã, mesmo que de forma desordenada e divida, como ainda o é nos dias de hoje, se populariza. Os romanos embora não tenham comprado a ideia a princípio - chegando mesmo a combater os cristãos, por motivos que a história bem explica, e que nada tem haver com beleza da religião a adotam. Ajustam alguns detalhes, excluem os livros contendo contradições mais aberrantes, formatam e impõem o cristianismo a todo império como religião oficial. E chegamos até os dias hoje. Aqui estamos eu você debatendo o assunto. Que a longa vida da religião cristã seja efeito da fé eu não duvido e nem contesto, mas que a lógica não seja aplicável eu discordo.

      3 - Ah tá! E você usa as alegações de um cristão notável para justificar seu ponto de vista. Muito bonito! Pergunte a um islâmico notável qual seja a sua opinião.

      4 - Tudo que você afirma é efeito, consequência e não causa. Mais uma vez você despreza a lógica e análise isenta.

      5 - Você parte da premissa de que seu nascimento tenha sido um fato. Isso não se comprova. É apenas um mito, e como tal, foi evidentemente construído usando elementos de origens distintas.

      Continua...

      Delete
    5. 6 - Mais uma vez o que você afirma é efeito, consequência e não causa. Mais uma vez você despreza a lógica e análise isenta. Reiteiro portanto as minhas asserções anteriores, de que a hermeneutica cristã seja um engano mental;

      7 - Mais uma vez não me surpreende a sua análise parcial. Minha análise (apenas resumindo ok): Osíris e Seth, são semelhantes aos irmão relatados no antigo testamento, Abel o irmão bom, e Caim, o irmão invejoso, que posteriormente assassina Abel; Jesus, Maria e José, a Santísssima Trindade, é de certa forma personificada por Hórus, Osíris e Ísis;

      8 - Ora! que falácia mais óbvia! Pergunte ao seu citado qual tenha corroborado?

      9 - Bem, vejamos o que eu disse: a ciência não se presta esse papel (que você afirmou ser o de evidenciar sua mitologia). E a bem da verdade, não tem interesse em fazer o contrário... E reitero que sua verdadeira contribuição histórica, embora não seja o seu propósito, tem sido no sentido de refutar alegações religiosas. E que as apropriações feitas pelas religiões e religiosos muitas vezes são desonestas e oportunistas.

      Abraço!

      Delete
    6. É meu amigo, ...não adianta eu ficar aqui expondo ad-nauseam as provas/evidências do Cristianismo primitivo e seu Fundador. Sua posição continuará irredutível.

      Mas pense, duvide, indague, pesquise, não aceite tudo prontinho os pressupostos e conceitos ateístas.
      Tendo em vista a magnitude, complexidade e beleza do universo, da terra, da vida, da moral, da cognição humanas... não tenho fé suficiente para ser ateu.
      Vc diz crer na ciência, eu também. Um dos mais conceituados cientistas disse:

      "Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima." - Louis Pasteur, notável médico e cientista francês.

      Nossa própria consciência nos alerta e nos inclina a reconhecermos o Criador, porém é nossa vontade que decide nossas ações.

      "A minha consciência tem mais peso pra mim do que a opinião do mundo inteiro." - Marco Túlio Cícero.

      Abraço fraternal cristão!

      Delete
    7. Prezado Cícero,

      Se me permite, gostaria de lhe dizer com toda sinceridade que muito me apraz debater com você. E aproveito também para esclarecer que, embora discordemos sobre muitos pontos, vejo sinceridade e boa vontade na sua postura. Apesar das provocações, o considero um companheiro de debate digno de toda consideração.

      Então, digo que apesar das nossas diferenças tens o meu apreço.

      Um grande abraço!

      Delete
  14. Regina Silva10:35 AM

    Reinaldo

    Migo, vou responder só a 4 com uma pergunta: se Deus não te deu o livre arbítrio, quem decidiu teu ateísmo em lugar de você? Foi o fantasma-guia?

    Bjos

    ReplyDelete
  15. Por que, diante da demora de Moisés na montanha (Êxodo 32:1), rogaram a um bezerro de ouro e não ao deus que viram abrir o Mar Vermelho?

    Por que Davi, que até conversava com Deus, poria em prática tamanha crueldade contra Urias (II Samuel 11:15)?

    Por que Tomé duvidou taxativamente da ressurreição anunciada de Cristo (João 20:24-25), tendo testemunhado Lázaro já podre voltar à vida (João 11:14-16)?

    Por que Jesus, que permitiria a Tomé tocar-lhe como prova as feridas, apesar do testemunho à ressurreição de Lázaro, não nos deixaria seu corpo inteiro, para constatação da partenogênese?

    Por que um ateu, que só testemunhou o charlatanismo, que sente pena das pessoas enganadas, que não pratica o mal, seria visto com maus olhos por um deus bondoso?

    Por que pessoas mundo afora, que, em conformidade com escrituras de outros deuses, não são pervertidas e praticam o bem, sem nunca terem sido apresentadas a Jeová, não mereceriam sua compaixão?

    O problema é não crer em deuses ou não adorar Jeová? O problema é não seguir escrituras suas ou não seguir o Novo Testamento (Jesus)?

    Não pergunto aos cristãos, perguntaria a Deus, como fez Habacuque.

    ReplyDelete
    Replies
    1. por que as pessoas e egoista e so quer agradar seu eu as pessoas so que servi o que e bom para ela.

      Delete
  16. por isto que tantas pessoas sofrem por que so acredita no que ver muito se suicida por os problemas mais um dia aquele problema vai acaba quem escrevel isto nem parece uma pessoa estudada me diz uma coisa (ex:um estrupador estrupo sua filha vc e obrigado a cuida dele.) DEUS e DEUS para quem o segue ele nao e obrigado a cuidar de humundo que duvida do seu poder e mesmo assim ele cuida por que eu mexia com demonios eu iria menti para que demonios existe e se DEUS nao nos proteguece voces iria ver o regaço no mundo procure a DEUS por que se vc nao acredita vc vai ver ele esta voltando

    ReplyDelete

Pregações, palavras de baixo calão, ofensas pessoais, práticas de trollagem, rotulações e argumentos ad hominem serão excluídos.