#Compartilhe

Compartilhe esta postagem no Facebook

Compartilhe esta postagem no G+

Pesquisar no site

Injustiça Contra a Ciência


Alguns acreditam que há harmonia entre Ciência e Religião, outros acreditam que são totalmente antagônicas. É razoável pensar que são formas diferentes da busca pela verdade que divergem bem mais do que convergem. Algumas descobertas científicas parecem apoiar a Religião em alguns aspectos, isto porque a Ciência não diverge da Religião deliberadamente, mas grande parte dos estudos científicos põe importantes doutrinas religiosas no nível de mito por necessidade de eficiência na resolução dos problemas humanos. Para a Ciência nada é mais importante do que o entendimento do mundo ao nosso redor, mesmo que isso venha a contrapor-se a antigos e arraigados pensamentos.

Diferente da religião, charlatões não
subsistem na Ciência, pois precisam
provar o que afirmam. Woo-Suk
Hwang, ao centro, condenado por
falsificar resultados na pesquisa de
células tronco.
É comum no meio cristão a ridicularização das teorias científicas que vão de encontro aos princípios bíblicos. Isso não deixa de ser lógico porque muitas investigações são uma ameaça à fé cristã. Uma teoria científica é bem mais que uma hipótese, baseia-se em não poucas provas matemáticas, materiais e experimentais. Uma sala fechada cheia de tubos de ensaio, visão que faz parte do imaginário leigo, não são os limites de um laboratório científico. Uma teoria científica é um laudo de uma investigação longa, minuciosa e atenta. O cientista enfrenta condições rígidas para expor sua teoria, e não o faz sem antes considerar e testar exaustivamente o máximo de possibilidades para cada item analisado. Uma falha pode lhe custar caro, a perda de crédito de toda uma vida árdua dedicada à pesquisa, pois logo depois de uma divulgação, vários grupos de cientistas independentes estarão reproduzindo suas conclusões a fim de aperfeiçoá-las ou desmenti-las, como no caso do cientista coreano Woo-Suk Hwang que, ao forjar pesquisas de células tronco, foi preso e teve que abandonar o ramo científico envergonhado. Ao contrario da Religião - que permite, premia e exalta teólogos e pregadores que fazem qualquer tipo de combinação de idéias com aparência de lógica, mas com eficiência nula - a Ciência não tolera a permanência de enganos e enganadores, pois o método científico inerentemente exige resultados concretos reproduzíveis.

Trabalhe, divirta-se e estude
com um computador. Uma ferramenta
indispensável criada pela ciência
à serviço da humanidade.
Quem pode imaginar a vida hoje sem eletricidade, avião, carro, satélite, antena parabólica, antibiótico, vacina, ultra-sonografia, tomografia, internet, rádio, televisão, aparelho de som, CD, DVD, computador, condicionador de ar, xampu, sabonete, escova de dente, gel e creme dentais, absorvente e papel higiênicos, cinema, trator, colheitadeira, bomba d’água, centrais de tratamento de água e esgoto, arranha-céus, telescópio, microscópio, bicicleta, motocicleta, sorvete, geladeira, liquidificador, ventilador, tênis, telefone celular, trem, plástico, cimento, metais e produtos químicos diversos? Simplesmente não percebemos que isso é um luxo que nossos antepassados não tiveram, mas basta a suspensão momentânea de energia elétrica para lamentarmos profundamente a falta da maioria destes benefícios. Imagine um mundo sem alguns dos inúmeros ramos da Ciência como física, química, biologia, engenharia, medicina, psicologia, astronomia, meteorologia, arquitetura, arqueologia, paleontologia, geologia, agronomia, zoologia, botânica, genética, informática, eletrônica, mecânica e sociologia. Alguns diriam que viveriam melhor, muitos diriam que viveriam pior, mas ninguém diria em sã consciência que é ruim usufruir dos medicamentos, conforto e bem-estar que a Ciência produz, onde o cidadão comum de hoje vive muito melhor do que os reis do passado. Sem a Ciência estaríamos na barbárie de nossos tempos remotos ou na ignorância da idade média dominada pelas crenças religiosas.

A criança à direita, como outras
milhares, foi curada de câncer pela
medicina moderna, graças à Ciência.
Depois de tantos milagres incontestáveis à vista de todos, a qualquer hora que se queira ver e sem necessidade de fé, por que muitos não acreditam na Ciência quando demonstra que somos totalmente matéria e energia; que nossos sentimentos, razão, moral e cultura são frutos das interações químicas dentro de nós, aprimoradas pela seleção natural de genes herdados de nossos ancestrais animais? Por que muitos não acreditam quando a Ciência afirma que o Big-Bang deu origem a forma atual do Universo, comprovando com ferramentas como telescópios, radiotelescópios, espectrômetros e aceleradores de partículas, com demonstrações de eventos naturais como a expansão do Universo e distorção da luz das estrelas? É bem verdade que a Ciência potencializou a destrutividade e belicosidade humanas, mas a degradação do planeta e as guerras dependem muito mais da consciência e das divergências éticas, culturais e religiosas do que do conhecimento proporcionado pela Ciência. É incontestável que a jovem Ciência em alguns anos fez muito mais do que a mitologia, a Religião e a Filosofia fizeram em milhares de anos, mas nem assim tem permissão para opinar sobre Deus na vida da maioria das pessoas. No ano de 1800 a humanidade contava com 1 bilhão de indivíduos. Devido aos avanços da Ciência, essa população chega hoje a mais de 7 bilhões de pessoas, ou seja, pelo menos 6 em cada 7 crentes em Deus devem sua existência à Ciência dos séculos XX e XXI desenvolvida por 9 ateus entre cada 10 cientistas.

A Religião foi uma iniciação do homem no campo do conhecimento, o qual é um caminho longo e árduo que tanto a humanidade quanto o indivíduo precisa peregrinar, porém muitos desfalecem e estacionam em sua forma primitiva. Em quem uma pessoa deveria confiar, antes de tudo, acerca de assuntos relativos a Deus que lhe influenciam a própria vida e daqueles a quem ama? Com certeza deveria ser em quem mais fez de concreto por sua vida desde seu nascimento, a poderosa e humilde Ciência.

"Se todas as conquistas da Ciência fossem eliminadas amanhã, não haveria mais médicos, apenas curandeiros. Não haveria transportes mais rápidos que cavalos, nem computadores, nem livros impressos, nem agricultura mais avançada que a de subsistência. Agora, se todas as conquistas das religiões fossem eliminadas, alguém notaria a diferença?" (Richard Dawkins).

19 comments:

  1. É de certo um dos melhores textos que foi aqui publicado. Esclarecedor. Claro que vai haver quem o conteste, mas desses terei pena. As minhas felicitações.

    ReplyDelete
  2. QUE TEXTO MAGNÍFICO E DE GRANDE VALIA,
    ADMIRO A CIÊNCIA, AMO A CIÊNCIA ELA É UM DEUS!
    MARLI, MÃE DE KARLA.
    ABRAÇÃO.
    CONTINUE....

    ReplyDelete
  3. Bom se tá ligado que a ciência está envolvida muito com a "religião", eles falam que desmascaram, mas tudo feito pela ciência tem inspiração a Cabala (Feitiçaria judaica) se tiver duvida sobre o assunto pesquise já q se acha tão esperto (Y)

    ReplyDelete
  4. Ou não sabes mesmo o que é ciência ou então confundes ciência com religião.

    Ambos os aspectos não são a teu favor...

    ReplyDelete
  5. O Cara ta falando da importância da ciência na nossa vida e tem razão em tudo que falou.
    Não criticou a religião !! pelo menos neste post.
    Ai vem um ja falando de profecias bilbicas o outro falando de feitiçaria.
    Graças a ciência e ele tem razão : Nunca mais houve pestes pra dizimar milhões em questão de dias isto é apenas um exemplo.
    Que medo é este que os religiosos tem?!

    Que se um ateu ou cientista escrever ou disser qualquer coisa até uam receita de bolo ; os religiosos ficam todos alvoroçados.
    Será qeu la no fundo não tem medo de algo?! Pensando:
    (Como? Será? não pode Ser?)

    ReplyDelete
  6. O maior medo dos teístas é de que a ciência roube os poderes que seus deuses possuem sobre suas vidas.

    ReplyDelete
  7. Tudo muda quando percebes que não foi a partir do nada. Lembra-te de Lavoisier: "Na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma"

    ReplyDelete
  8. CIÊNCIA x RELIGIÃO
    Religião x Ciência

    Mito:
    Ateus adoram a ciência. A tecnologia é a sua igreja, a evolução é o seu credo, Darwin é o seu profeta, e os cientistas são os seus sacerdotes.

    Resposta de Christopher Hitchens:

    “Nós não nos baseamos unicamente na ciência e na razão, porque esses são fatores mais necessários que suficientes, mas desconfiamos de tudo o que contradiga a ciência ou afronte a razão. Podemos diferir em muitas coisas, mas respeitamos a livre investigação, a mente aberta e a busca do valor das idéias.”

    Mais respostas :

    Teístas religiosos que acreditam que...
    TEXTO COMPLETO EM:

    http://livrodeusexiste.blogspot.com/2011/02/cap-ciencia-x-religiao.html

    ReplyDelete
  9. Anderson9:46 PM

    Faz-me rir, esse Anônimo.

    Por que criticas o posicionamento científico sobre teorias uma vez que crê cegamente em algo e estás fechado à mudança?! Se alguém crê no Big Bang, de fato não deixa de acreditar em algo não totalmente explicado, mas uma coisa é mito e outra é teoria. Por acaso estás incomodado com a concorrência sobre teu "Deus"?

    Questiona as teorias científicas, mas porque não explicas como Deus criou o universo? Usou o que para criá-lo? Quanto tempo levou? Realmente descansou no 7º dia? Que prova tens sobre isso também? As nossas ao menos são baseadas em pesquisa e estudo, não cairam do céu.

    Mas talvez pense:
    "Nunca deveríamos ter questionado a origem do universo ou a nossa própria criação... já tínhamos uma explicação"

    Realmente, quem sabe. Do seu ponto de vista...

    Saiba algo sobre a ciência e os homens que a fazem: Não temos certeza, nunca tivemos, talvez, quem sabe, nunca teremos. Mas é a dúvida que nos dá força pra continuar. Foi a dúvida e a incerteza que originou 90% de tudo que você usa hoje.

    Deveríamos ter continuado achando que a Terra era chata? Que doenças eram causadas por demônios? Ou melhor, talvez seria melhor utilizar a crença das pessoas pra gerar guerras e causar extermínios?

    Quer provas amigo? Bem vindo ao nosso mundo, mas peço uma única coisa, ao encontrá-las divulgue, não faça como muitos religiosos que queimam livros.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Caro Anderson,
      A pergunta dele foi lógica. Pois do nada não poderia advir nada mesmo,... ou algo.

      O Dr. Robert Clark PHD em bioquímica pela universidade Cambridge, declarou no seu livro; “Universo, Plano ou Acidente?”

      “É impossível quando você olha para química, física, astronomia, biologia entender o universo como obra do acaso. Mas sim, entendê-lo como uma obra projetada com engenhosidade e projeto deliberado.”

      Criação Ex-nihilo, conforme os princípios da navalha de Occam!
      Ato sobrenatural, extraordinário, singular, não-repetível, portanto não detectável pelos métodos científicos tradicionais usados para eventos naturais, mas ainda assim, falhos e limitados.

      Delete
    2. Cícero,

      O princípio que William of Ockham costumava usar, o princípio da economia, em resumo diz o segunte: Mantenha simples.

      Quando aplicado à ciência propõe, por exemplo, que entre duas duas postulações para explicar um dado fenômeno, a mais simples é a verdadeira. De fato alguns religiosos ao aplicar este princípio se apressam em dizer que então postular que haja um criador, um arquiteto, seja verdadeiro pois é o mais simples. Mas esta abordagem é equivocada. Tomemos como exemplo as postulações abaixo, duas hipotéticas simplificações da teoria de Georges Lemaître:

      1º Postulado: O universo foi criado a partir de uma singularidade, um átomo primordial que explodiu e gerou toda a matéria e energia que conhecemos.

      2º Postulado: O universo foi criado a partir de uma singularidade, um átomo primordial que explodiu e gerou toda a matéria e energia que conhecemos. Esse fenônomeno foi possivelmente produzido por seres extraterrestres super avançados.

      Aplicando o princípio da Navalha de Ockham, o segundo postulado deve ser descartado porque ele adiciona uma complexidade desnecessária, visto que o primeiro já explica como o universo foi criado.

      Sobre o postulado original, vale lembrar que o próprio Lemaître, mesmo sendo padre, se sentiu contrariado quando Pio XII tentou se apropriar dele e encaixá-lo na teologia cristã - alegando ser a teoria da grande explosão a prova definitiva do que está escrito em Gênesis. Lemaître então tratou logo de "repreender" o Papa deixando claro que aquilo era ciência e não religião. Nas suas palavras ele disse ao Papa: "Pare de dizer isso! Esta é uma teoria científica, cujas predições podem ser testadas, independentemente da religião".

      Concordo plenamente com ele. São coisas que não devem ser misturadas, principalmente sem evidências. Até porque, segundo Carl Sagan, alegações extraordinárias exigem evidências extraordinárias.

      Abraço!

      Delete
    3. Warlei,

      1º Postulado: O universo foi criado a partir de uma singularidade, um átomo primordial que explodiu e gerou toda a matéria e energia que conhecemos.
      Aplicando o princípio da Navalha de Ockham, o segundo postulado deve ser descartado porque ele adiciona uma complexidade desnecessária, visto que o primeiro já explica como o universo foi criado.


      Notamos claramente dois sérios problemas neste enunciado.
      1 - Qual a Causa Primária originadora dos elementos desta singularidade e deste super-átomo? e quem, ou o que acendeu o pavio inicial, gerando não somente matéria e energia, mas o espaço e o tempo para inseri-las, como grandezas universais?
      O próprio S.Hawking admite: ":"quem deu partida as equações e detonou o universo" (Buracos negros p.99).

      Se algo surge; deve ser causado por um Ser Necessário que precisa existir. Já que é impossível que o nada cause algo, então é NECESSÁRIO que algo (um Ser) sempre tenha existido. Até o famoso cético David Hume disse: "jamais afirmei uma proposição tão absurda como a de que algo pode surgir sem uma causa".

      2 - Admitindo-se que nossa realidade física (universo) pudesse mesmo ter vindo dessa alegação. Contudo, se requer uma Causa Inteligente Ordenadora e Mantenedora de nosso universo e sistema solar até hoje; finamente ajustados com mais de 100 leis e constantes físicas que não poderiam formar-se aos poucos; sob pena de nada existir ou sermos uma sopa eterna de gases, poeira e radiação.

      Mas notamos um princípio antrópico fortíssimo, alguns exemplos:
      -Os astrônomos concordam que se houvesse a menor variação na hora do big-bang, alterando as condições, mesmo que pouco, nenhuma vida existiria.
      -O oxigênio compõe 21% da atmosfera. Se a porcentagem fosse 25%, a atmosfera começaria a pegar fogo, se fosse 15% os seres humanos morreriam asfixiados.
      -A força centrífuga dos planetas se não equilibrasse exatamente as forças gravitacionais, NADA ficaria em órbita em torno do sol.
      -Se o universo estivesse se expandindo a velocidade de um MILIONÉSIMO menor que está agora, a temperatura na terra seria de 10.000 Cº
      -Se a inclinação axial da terra fosse levemente alterada, diferenças de temperaturas seriam grandes demais impedindo a vida de várias espécies
      -Se Jupíter não estivesse em sua órbita atual seríamos bombardeados com material espacial. A sua poderosa gravidade age como um aspirador de pó puxando asteróides e cometas que de outra forma atingiriam a Terra ...etc.

      Atribuir todas essas configurações exatas ao mero acaso, sorte, caos - sendo entidades inexistentes - seria de fato; uma quebra violenta do princípio de Occam.

      Lemaître então tratou logo de "repreender" o Papa deixando claro que aquilo era ciência e não religião. Nas suas palavras ele disse ao Papa: "Pare de dizer isso! Esta é uma teoria científica, cujas predições podem ser testadas, independentemente da religião".

      Na verdade, tais predições específicas não podem ser testadas empiricamente pelos instrumentos e metodologias científicas que dispomos.
      Note que o método científico estuda as leis naturais; e estas são eventos repetíveis, regulares, previsíveis. Contudo a detecção direta de Deus e seus eventos milagrosos sobrenaturais - como no caso a origem do mundo e da vida - são eventos singulares, extraordinários, irregulares, únicos que fogem aos instrumentos e metodologia científica tradicional que estuda a natureza e seus fenômenos naturalmente causados, ainda assim, com falhas e limitações nestes estudos.

      Mas nos caso da ciência das origens; assim como a história do nosso planeta; todos os cientistas acreditam que a origem do universo e origem da vida são eventos singulares, especiais e não-repetíveis.

      Assim, é errado supor que leis naturais e o domínio da lei científica é sobre todo e qualquer evento, mas apenas sobre eventos regulares, normais, repetíveis e não de TODOS os eventos possíveis.

      Abraço.

      Delete
    4. Prezado Cícero,

      Minha única intenção foi esclarecer como o princípio da Navalha de Ockham é aplicado na ciência. E demostrar de modo simples, que na ciência ao se aplicar este princípio expurga-se os elementos desnecessários para investigar o que é relevante. No caso tomado como exemplo, seria como o universo que conhecemos se originou. Então, os seres extraterrestres super poderosos seriam adições desnecessárias naquele caso. E na verdade eles também precisariam ser explicados, assim como qualquer ser mágico que se tente por conjectura colocar atrás do big bang. Portanto não pretendo aqui ponderar sobre o que está por trás do big bang, e o usei apenas uma alegoria.

      Quanto ao postulado de Lemaître, ele tinha o propósito de apenas confirmar o que a TRG de Einstein sugeria. Embora se saiba que o próprio Einstein resistia em aceitar que o universo não fosse estático, pois isso era quase um dogma naquele tempo. Os religiosos também não gostavam da teoria do big bang, pois achavam que um universo estático combinava muito melhor com a ideia de que Deus criou tudo e continuava tudo como fora criado. Preferiam a teoria do britânico Fred Hoyle que propunha um universo estático onde Hélio e Hidrogênio estavam sendo criados continua e espontaneamente em algum lugar...(?)... mas, diante da realidade dos fatos, quando Edwin Hubble verificou de modo prático que Lemaître estava correto, veio a Igreja e tratou logo de se apropriar dos fatos. É sempre assim.

      Já que você gosta tanto de citações deixo duas. A segunda é pra mexer com seu brio um pouco:

      "Quando achamos a matemática e a física teórica muito difíceis, voltamo-nos para o misticismo."
      (Stephen Hawking)

      “A ignorância frequentemente gera mais arrogância do que o conhecimento: são os que sabem pouco, e não aqueles que sabem muito, que afirmam de uma forma tão categórica que este ou aquele problema nunca será resolvido pela ciência.”
      (Charles Darwin)

      Abraço!

      Delete
    5. Warlei,

      Portanto não pretendo aqui ponderar sobre o que está por trás do big bang, e o usei apenas uma alegoria.

      Mas não consideras o postulado de Lemaître uma alegoria.
      Por trás do big bang, pelo princípio da causalidade bem aceito pelos físicos e de acordo com o princípio de Occam, uma Causa Primária Inicial Existencial se faz necessária, (pois o universo existe, em vez do nada) ao invés de atribuirmos aos inexistentes - nada, acaso, sorte.

      Embora se saiba que o próprio Einstein resistia em aceitar que o universo não fosse estático, pois isso era quase um dogma naquele tempo. Os religiosos também não gostavam da teoria do big bang, pois achavam que um universo estático combinava muito melhor com a ideia de que Deus criou tudo e continuava tudo como fora criado.

      Na verdade, a teoria do big bang está em sintonia com a Escritura cfe. Gn 1:3!
      Einstein quando acrescentou um “fator indeterminante” a suas equações sobre o big-bang para evitar implicações Teístas do Início do universo cfe. o postulado de Lemaitre; acabou sendo humilhado mais tarde quando sua fraude foi descoberta. Felizmente, ele eventualmente admitiu seu erro e concluiu que o universo foi criado. Então escreveu sobre seu desejo de saber como Deus criou esse mundo. Disse:
      “Não estou interessado nesse ou naquele fenômeno, no espectro desse ou daquele elemento, quero conhecer seu pensamento, o resto é detalhe”. (N.Herbert,A realidade quântica p.177).
      Mesmo não aceitando diretamente o Deus judaico-cristão fez muitas declarações teístas como:
      “Deus não joga dados no universo”.
      “ciência sem religião é manca, religião sem ciência é cega”.
      “Deus é a lei e o legislador do Universo. Sem Deus, o universo não é explicável satisfatoriamente.” – Albert Einstein

      Citando o próprio Hawking, ele também conjectura:
      “Qual é a natureza de Deus?… O que dinamiza as equações e faz um universo para que governe?…Mesmo que a ciência possa resolver o problema de como o universo iniciou, não pode responder a questão: “Por que o universo se dá ao trabalho de existir?”
      Ele acrescenta: “Eu não sei a resposta pra essa pergunta” (Uma breve história do tempo p.99).

      Mas Hawking também menciona:
      “os números das leis da natureza parecem ter sido ajustados com precisão para possibilitar o desenvolvimento da vida e como a configuração inicial do universo parece ter sido escolhida cuidadosamente.” citado por Fred Heeren (Show me God p.67).

      Interessante que Hawking menciona "ajustes com precisão" e "escolhas cuidadosas".
      Mas apenas uma Causa ou Ser Inteligente poderia ajustar e escolher cuidadosamente qualquer coisa!

      Robert Jastrow fundador do Instituto Goddard da NASA disse:
      “Agora vemos como a evidência astronômica leva a uma visão bíblica da origem do mundo. Os detalhes divergem, mas os elementos essenciais presentes tanto nos relatos astronômicos quanto na narração do Gênesis são os mesmos: a cadeia de fatos que culminou com o homem começou repentinamente e num momento preciso no tempo, num flash de luz e energia.”

      Até Voltaire disse:
      “O mundo foi feito com inteligência. Por conseguinte, foi feito por uma Inteligência… A inteligência de Newton veio de outra Inteligência.”

      Na verdade Darwin, dedicou um capitulo em seu livro que chamou “uma série de dificuldades”.
      E Darwin reconhece: “A geologia certamente não revela nenhuma mudança orgânica gradativa, e possivelmente essa é a objeção mais séria e óbvia contra a teoria”.
      Darwin admite as dificuldades da evolução ao dizer que “algumas delas são tão sérias que até hoje mal posso refletir sobre elas sem ficar um pouco atordoado”.

      Abçs.

      Delete
    6. Cícero,

      O lado mais interessante da ciência é justamente a sua honestidade. Não há forçação de barra ou imposição pela força da persistência. Ciência trata com a verdade, não com delírios. O que está evidente está evidente e o que ainda não está, é investigado, sem nenhum problema em reconhecer que ainta é um mistério. Mas repito, sem recorrer a atalhos ou ao misticismo.

      Conforme eu disse anteriormente as lacunas ainda existem. E que esse papo que de nada não pode advir do nada é óbvio! Essa é uma regra que serve mais ainda para quem alega a existência um ser mágico imaginário, pois para sustentar a sua existência não existe nenhum argumento lógico, apenas subjetividade e muita, mas muita fé. Que diga-se de passagem nada tem haver com razão e lógica. Talvez até mais do que os pobres da famosa fala de Jesus (em João 12:8) a ignorância é algo que sempre teremos conosco. Isso não impede, no entanto, que o “Deus das Lacunas” seja uma triste divindade, permanentemente batendo em retirada.

      Hawking já disse que Deus é desnecessário para explicar o universo. E esse mito trata-se de uma figura tão pífia, na verdade, que os teólogos mais bem informados e as pessoas religiosas capazes de uma reflexão mais sofisticada já se desfizeram dele. A bem da verdade, o teólogo holandês Willem Drees até havia se antecipado a Hawking, afirmando, em um de seus livros, que a cosmologia “não apoia um argumento de design para a origem do Universo”.

      Abraço!

      Delete
    7. Warlei,

      O que está evidente está evidente e o que ainda não está, é investigado, sem nenhum problema em reconhecer que ainta é um mistério. Mas repito, sem recorrer a atalhos ou ao misticismo.

      O homem desconhece muitos eventos de ordem natural ainda. Está constantemente descobrindo novas coisas aqui mesmo na terra, como no fundo do mar etc.
      Então quais as evidências da inexistência do mundo sobrenatural, espiritual? Afirmar por afirmar, é uma clara petição de princípio.
      O homem não conhece nem 0,001% do Universo, então como afirmar que não há um Criador Inteligente Pessoal?

      pois para sustentar a sua existência não existe nenhum argumento lógico, apenas subjetividade e muita, mas muita fé. Que diga-se de passagem nada tem haver com razão e lógica.

      Pelo contrário, os fatos, evidências, descobertas e depoimentos são elementos fundamentais na contrução da fé cristã. Não cremos num deus obscuro, longinguo, inalcansável, imperceptível.
      A própria Palavra insta à razão e à lógica.
      "Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento" Mt 22:37
      "Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor" Is 1:18
      "responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós," 1Pe 3:15

      Hawking já disse que Deus é desnecessário para explicar o universo.

      Ele fez do NADA o seu deus. Parece que a maior deficiência de Hawking é mental e não física, ao atribuir ao Nada toda a complexidade e beleza do universo e vida na terra. Uma falácia lógica gritante.

      E esse mito trata-se de uma figura tão pífia, na verdade, que os teólogos mais bem informados e as pessoas religiosas capazes de uma reflexão mais sofisticada já se desfizeram dele.

      Logo, é porque nunca foram "teólogos" ou religiosos. Eu tenho formação em teologia básica; e cada vez mais vejo a Necessidade do Ser Sobrenatural como originador e mantenedor do universo e da vida.

      A bem da verdade, o teólogo holandês Willem Drees até havia se antecipado a Hawking, afirmando, em um de seus livros, que a cosmologia “não apoia um argumento de design para a origem do Universo”.

      Em vista da ordem e beleza incrível do universo que todos admiram; é racional e lógico admitir um Ser Sobrenatural SuperInteligente por trás de tudo. O desenho requer um Desenhista.
      Até o maior agnóstico filosófo, Immanuel Kant afirmou:
      "Duas coisas enchem a mente com admiração e reverencia cada vez maior e mais nova, por mais frequente e constante que seja nossa reflexão sobre elas: o céu estrelado e a lei moral dentro de mim".

      Abçs.

      Delete
    8. Cícero,

      Devo admitir. você é persistente. Mas continua com a velha dificuldade de entender o que os outros dizem. Fico com impressão que você as vezes simplesmente ignora argumentos lógicos. Você acredita que seja necessário um criador? Tudo bem. Mas ciência não se faz desse modo. PONTO!

      Abraço!

      Delete
  10. Anderson9:49 PM

    Não esquecendo, parabéns pelo texto e pelo blog. Grandes avanços à ciência!

    ReplyDelete
  11. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete

Pregações, palavras de baixo calão, ofensas pessoais, práticas de trollagem, rotulações e argumentos ad hominem serão excluídos.