Compartilhe esta página no Facebook

Compartilhe esta página no G+

Pesquisar no site

Profecias: Como São Produzidas


Uma característica intrigante da Bíblia são suas profecias, sem elas este livro cairia no esquecimento. É comum ouvir dizer que 'as profecias estão se cumprindo' a cada fato de repercussão mundial. Para a maioria das pessoas, a origem das profecias seria explicada somente pela existência de um Deus ou por alguma força mística desconhecida. No entanto, uma análise mais atenta, revela 6 origens naturais e artificiais para todas as profecias, as quais são:

I – Indução Psicológica

Joana D’Arc, por exemplo, baseou sua vida em uma profecia sobre uma jovem que libertaria a França do domínio inglês. Jesus, assim como outras dezenas de homens, teve sua vida fortemente influenciada pelas profecias que ouvia. Há registros que, sob opressão romana, dezenas de homens se levantaram nos tempos neotestamentários acreditando ser o messias previsto nas escrituras hebraicas. Além de Jesus a própria Bíblia cita o nome de mais dois homens que acreditavam ser o messias (Atos 5.34-37). Possivelmente sobre a vida e morte de um deles foram adaptados os contos populares e da mitologia grega que deram origem ao mito de Jesus Cristo. Observe que o mesmo tipo de indução pode ocorrer no ambiente familiar. É comum filhos se tornando o que os pais previam ou desejavam (médico, engenheiro, ator, etc.) sem que tais previsões sejam sobrenaturais. Previsões sobre pessoas induzem gente no futuro a cumprir a parte natural, o que, por sua vez, induz o imaginário popular a adicionar a parte sobrenatural.

II – Simbolismo

O simbolismo é uma forte característica da literatura bíblica, o que permite a uma única previsão se adaptar a várias situações reais. Um exemplo é o número 666, o número da besta profetizada no Apocalipse, que pode ser aplicado não só ao Papa, o principal 'suspeito', mas a diversos cidadãos comuns e a muitas autoridades políticas e religiosas como o ex-presidente americano George Bush e a fundadora do adventismo do sétimo dia, Ellen White. Em Apocalipse 18.13 a Bíblia diz que se requer sabedoria e cálculo para se encontrar este número no nome de um homem e, assim, descobrir se ele é a besta. A forma clássica de se calcular é encontrando algarismos romanos no nome ou título da pessoa e fazer cálculos que cheguem ao número 666. Citemos, por exemplo, um nome comum: Demétrio Xícharo Silva. Dele podem-se extrair os seguintes algarismos romanos:

D=500, C=100, L=50, X=10, V=5, I=1, I=1 e I=1.

E depois fazer o cálculo:

500+100+50+10+5+1+1-1=666.

Seria nosso cidadão a besta que haveria de vir? O problema é que talvez para os tempos bíblicos três dígitos fossem suficientes como senha. Porém para os dias atuais, com bilhões de pessoas e milhares de autoridades, 666 não é uma senha segura, podendo facilmente ser repetida entre muitas pessoas, não somente para um homem como acreditava o autor de Apocalipse. O número 666 tem sua origem no simbolismo da época onde o 6 representava a imperfeição ou o mal, e sua repetição 3 vezes caracterizava um ser vivo trino, como Deus e o homem, porém maligno. Além de o simbolismo permitir múltiplas ocorrências, aumentando a probabilidade de uma previsão se parecer com algum fato real, também permite a ocultação de prognósticos falsos, pois, se os símbolos não se parecem a nenhum fato real a profecia não cumprida passa despercebida.

III – Omissão de Nomes e Datas

O caro leitor já percebeu que as profecias bíblicas omitem todas as datas e nomes? Prever o futuro desta forma aumenta significativamente a possibilidade de um prognóstico parecer-se a um fato real, pois no decorrer do tempo inúmeros fatos ocorrerão até que um se encaixe na previsão, mas enquanto o prognóstico não se assemelhar a nenhum fato real, sempre restará a possibilidade que a coincidência ocorra num futuro, mesmo que distante. Mesmo nunca se cumprindo, a simples omissão de nomes e datas garantirá uma forte e permanente sensação de potencial de cumprimento para uma profecia, mantendo quem crê em suspense, se possível, por toda uma vida. Um exemplo é a profecia do retorno de Jesus cuja data não foi revelada, o que produz ansiedade nos cristãos, sentimento que sabota a percepção da realidade de que ele nunca voltará, pois, conforme a Bíblia, ele prometeu voltar na geração em que viveu, para os apóstolos e pessoas que não morreriam fisicamente antes de seu retorno.

Ao que parece, os profetas bíblicos sabiam que previsões precisas dariam margem a vexames e suscitariam dúvidas acerca da autoridade da divindade que representavam, além de por em risco a vida do próprio profeta. Talvez por isso nunca utilizavam datas e nomes e deslocavam a profecia para um futuro distante onde não estariam vivos para ver o resultado caso fosse desastroso. É bem possível que os primeiros profetas tivessem tentado prever com nomes e datas, mas devido às falhas e transtornos causados, profetas posteriores abandonaram este tipo de profecia.

IV – Fraudes

Mas o que dizer de profecias como a estátua de metais, dos pais contra filhos e filhos contra pais e do surgimento dos falsos mestres descritos na Bíblia?

Embora seja muito duro constatar, infelizmente há profecias bíblicas cujo cumprimento se baseia em fraude. A profecia da estátua de metais de Daniel foi escrita muito depois do que tradicionalmente se acreditava, em torno do século II a.C. – depois de já terem passados os três primeiros impérios, e estar vigente o quarto – enquanto o autor induziu à crença de que havia sido escrita no século VI a.C., antes da ocorrência dos impérios. Estudos arqueológicos e linguísticos publicados a partir da década de 1970 provaram a fraude. Profecias como a que 'previu' os pais entregando filhos e filhos entregando os pais em perseguições aos cristãos, foram provavelmente enxertadas na Bíblia após as perseguições dos três primeiros séculos, quando o Novo Testamento foi reescrito no século IV d.C. Previsões sobre o surgimento de falsos mestres como os atuais fundadores de grandes denominações evangélicas cujo objetivo principal é a arrecadação de dinheiro, foram escritas pelos apóstolos enquanto falsos mestres e profetas já se manifestavam entre eles (I Timóteo 6.3-5). Dizer que o surgimento deles é um sinal de que hoje são os dias do fim também não é coerente, pois Paulo e Pedro escreveram sobre estes justamente por acreditarem que o fim era em seu tempo. Infelizmente onde há ser humano há fraudes.

V – Ignorância Popular

Antes de mais nada é importante frisar que ignorância aqui não é sinônimo de burrice, mas apenas a falta de domínio de alguma forma de conhecimento, o que é natural a todos os seres humanos.

Muitos créditos recebidos pelas profecias bíblicas têm sua origem na ignorância popular. Profecias referentes a terremotos, fomes e guerras, são prognósticos naturais. Terremotos têm sua origem na deriva continental que separou a Pangeia nos continentes hoje conhecidos, sua frequência e intensidade são similares há pelo menos 200 milhões de anos. Fomes em larga escala também são uma constante na história da humanidade. A própria Bíblia cita que o Egito do tempo de José foi um celeiro para um mundo faminto muito antes da existência do cristianismo (Gênesis 41.56,57). Desde que os romanos criaram correios eficientes, apoiados pelas muitas novas estradas, ter acesso a notícias mais distantes, como sobre as guerras, tornou-se mais fácil. Essa nova situação fez com que os escritores neotestamentários tivessem a impressão de que as mazelas humanas estivessem aumentando, quando na verdade estavam tornando-se mais conhecidas. Um dos maiores motivos que formaram todas as civilizações, confirmado por muitas evidências arqueológicas produzidas antes das previsões bíblicas, são as guerras. Inclusive o título "história universal" poderia facilmente ser alterado para "história da guerra". A ignorância sempre foi e sempre será o maior mal da humanidade.

VI – Testemunho Sem Credibilidade

É importante observar que há profecias de grande aceitação no meio popular cujo cumprimento é testemunhado somente pela própria Bíblia, sem registros históricos. Isso seria equivalente a um réu sendo sua própria testemunha, sem contar que os juízes foram comprados com promessas de vantagens e vida eterna. Desta forma a Bíblia é testemunha de si mesma, o que ela própria condena quando diz que se faz necessário duas ou três testemunhas para que um suposto acontecimento seja considerado digno de confiança.

Considerações Finais

Apesar dos mecanismos naturais e artificiais de ocultação de falhas, é possível constatar profecias não cumpridas na Bíblia, citemos quatro: (1) A profecia do retorno de Jesus que não deveria ultrapassar o segundo século, (2) o domínio militar do messias não cumprido em Jesus conforme previa o Velho Testamento, (3) a previsão de Jesus sobre os cristãos realizando obras maiores que as dele e (4) a morte de um terço da humanidade pela ação de animais selvagens conforme o autor de Apocalipse. Ironicamente tais animais estão sendo dizimados e extintos por aqueles que deveriam ser as vítimas. Nestes casos, onde os profetas tentaram ser específicos em algum ponto, as profecias falharam. Por este motivo, profecias explicitas, sem rodeios e simbolismo, detalhando localidades e nomes precisos, dia, mês e ano de eventos difíceis de serem manipulados, não fazem parte do rol de profecias cristãs, judaicas ou de qualquer outra religião, um indício da inexistência de profecias genuínas e do inspirador divino.

"Se a Bíblia está errada ao nos dizer de onde viemos, como podemos confiar nela ao dizer para onde iremos?" Justin Brown

Ver também Estátua de Metais (O Sonho de Nabucodonosor), Porquê Jesus Não Voltará (O Equívoco de Jesus), Obras Maiores Que as Minhas: Profecia Não Cumprida de Jesus e O Novo Testamento, Jesus e Michael Jackson.

9 comments:

  1. Alexandre
    Essa sua análise do nº 666 está bem dentro da lógica, é esclarecedora e satisfatória. Interessante que somente na tradição cristã esse número representa o tão temível sinal da BESTA.
    Há milênios era frequente a existência de profetas. Porque será que hoje em dia eles não existem mais? Será que Deus não forma mais seus profetas como antigamente? Você conhece um profeta contemporâneo? Eu não e nunca vi, mas, na bíblia você os encontra em grande quantidade.
    A profecia sobre a vinda Jesus anunciada e tão falada no Velho Testamento só teve veracidade para os cristãos. Já os judeus não acreditam que Jesus é o filho anunciado por Deus para pagar os pecados do mundo porque o Cristianismo contradiz a teologia judaica que ainda espera a vinda do seu Messias que nascerá de pais humanos, com atributos físicos normais, como qualquer outra pessoa. Não será um semi-deus, e não possuirá qualidades sobrenaturais.
    Também a volta de Jesus para buscar os seus, é esperada a mais de 2.000 anos a nada dele chegar e por isso qualquer fenômeno anormal que acontece, os crentes já pensam que chegou a hora da sua vinda e essas profecias surreais não tem data ou hora, justamentes para que elas sejam encaixadas de acordo com as conveniência dos fatos.
    Outro dia me deparei com uma hilária interpretação de uma profecia feita por Daniel atribuindo aos acontecimentos de 11 de setembro/2001 nos EUA.
    Fiquei de boquiaberta ao ler as comparações feitas em um site com o título:” O atentado terrorista de 11 de Setembro (A Profecia de Daniel) ”,dando como fonte a Wikipédia.

    Obs: Parece-me que conheço um pouco do leitor e comentarista “Cristão de passagem” pelo modo com que ele escreve, apesar de ter trocado novamente seu codinome, sugiro que use também o de “Peregrino”caso haja nova mudança.
    De qualquer forma dou as boas vindas pelo retorno.

    Paz! ♥ ♥ ♥
    .

    ReplyDelete
  2. Alexandre,

    O problema da tentativa de se usar a cumprimento de alguma profecia como evidência para uma religião é que tal argumentação assume como verdadeiras muitas premissas que de fato precisam ser verificadas de forma independente antes de se fazer inferências ou que conclusões possam ser tiradas. Vamos supor que uma profecia acaba de se cumprir. Que suposições e premissas embasariam a afirmação do cumprimento da profecia por aqueles que defendem argumentando a favor de uma certa fé?

    Vamos considerar algumas possíveis premissas e para simplificar e imaginemos que as mesmas se apliquem a uma religião monoteísta:

    - Deus é, de alguma forma, responsável pela profecia e seu cumprimento;
    - O que Deus disse é conhecido e foi cuidadosamente transmitido pelo profeta em questão, ou está registrado neste ou naquele livro sagrado;
    - O que Deus disse ou diz não precisa ter detalhes precisos não precisa ser entendido previamente pelos humanos;
    - Tudo o que Deus disse ou diz é verdade.

    A asserção consequente é de que:

    - A religião relacionada com a profecia é verdadeira.

    São proposições non sequitur, tanto as premissas quanto a conclusão. Um exemplo óbvio de alegação non sequitur seria: [você está vestindo uma camisa amarela. Portanto, você é uma beterraba]. Nota-se facilmente que a premissa, a declaração sobre a cor da camisa, não tem nenhuma relação lógica real com a conclusão, a afirmação de ser uma beterraba.

    Todas as proposições religiosas são non sequitur, as premissas do meio se sustentam entre si. No caso da Bíblia, conforme você bem ilustrou, ela acaba por ser testemunha de si mesma.

    Analisemos de outro modo: Uma profecia é cumprida... Será necessariamente obra de Deus? Ou poderia, por outro lado, ser um ato de algum demônio enganador do mal? Ou, quem sabe, poderiam ser alienígenas conduzindo um experimento elaborado para estudar o comportamento humano? É Sério! Que evidências podemos apresentar para demonstrar que as conclusões teístas sejam racionalmente preferíveis?

    Tomando como base esse fato, as afirmações teístas são tão improváveis quanto as outras opções. Eu não penso que um religioso possa responder corretamente a estas perguntas. Não sem cometer mais erros e produzir mais falácias non sequitur.

    Talvez algum religioso responda: "Uma profecia cumprida só pode advir de Deus, porque só Deus realiza algo assim." Que evidência existe para apoiar essa afirmação? Por que somente Deus poderia realizar tal façanha, e não um demônio ou uma raça extraterrestres altamente avançados tecnologicamente? E qual seria a evidência que apoiaria tal afirmação? Deus teria um carimbo de selo de cera ou uma assinatura digital para provar que o fato tenha sido obra dele?

    A análise paralela pode ser feita, caso um religioso sustente suas alegações baseando-se no testemunho de milagres. A fonte do milagre, a confiabilidade das informações da fonte, a confiabilidade do porta-voz do pensamento religioso a ser relacionado e em algum tipo de comunhão com a fonte também são questões que precisam ser comprovadas de forma independente antes que a verdade do sistema religioso possa se provar. Embora se deva notar que a ideia de milagre tem seus próprios problemas lógicos.

    Abraço!

    ReplyDelete
  3. Fato: As extraordinariamente complexas moléculas que formam uma célula (DNA, RNA e proteínas) parecem ter sido projetadas para trabalhar juntas.

    Pense no seguinte: O que lhe parece mais provável? Que uma evolução irracional formou as complexas estruturas, ou que elas são obra de uma mente inteligente?

    Fato: Alguns cientistas respeitados dizem que até mesmo uma célula “simples” é complexa demais para ter surgido na Terra por acaso.

    Pense no seguinte: Se alguns cientistas presumem que a vida veio de uma fonte não terrena, que motivo haveria para excluir Deus como essa Fonte?

    ReplyDelete
  4. A vida na Terra nunca poderia existir se não fosse uma série de felizes “coincidências”, algumas das quais eram desconhecidas ou pouco entendidas até o século 20. Essas coincidências incluem:

    A localização da Terra na galáxia Via Láctea e no sistema solar, bem como a órbita, a inclinação, a velocidade de rotação e a incomum lua do planeta

    Um campo magnético e uma atmosfera que servem de escudo duplo

    Ciclos naturais que reabastecem e purificam o ar e a água do planeta

    ‘Será que as características da Terra são produto do acaso ou de projeto intencional?’

    Como você responderia à afirmação de que a Terra não é nada especial, que é apenas mais um local em que a evolução poderia ocorrer?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Dizendo que essas características da Terra nem sempre foram assim é que ela já foi totalmente inóspita a vida. Houve tempo em que a Lua estava muito perto. Quando um raio cai na cabeça de alguém também acontecem felizes coincidências ou é Deus quem joga?

      Delete
  5. Em anos recentes, cientistas e engenheiros vêm permitindo que plantas e animais os ensinem, no verdadeiro sentido da palavra. Eles estudam e copiam os detalhes de projeto de várias criaturas (um campo conhecido como biomimética) para criar novos produtos e melhorar o desempenho dos já existentes.

    Como, por exemplo, analisam as nadadeiras das baleias e as asas e pernas das gaivotas. Quem realmente merece o crédito por esses projetos? De onde a natureza tirou todas essas ideias brilhantes?

    Então considere estes fatos: pesquisadores altamente especializados copiam de modo rudimentar certos sistemas da natureza para resolver difíceis problemas de engenharia. No entanto, alguns atribuem a genialidade de desenvolver a ideia original a uma evolução não inteligente. Isso lhe parece razoável?

    Se a cópia exige um projetista inteligente, que dizer do original? Quem realmente merece mais crédito, o mestre engenheiro ou o aprendiz que imita seus projetos?

    ReplyDelete
    Replies
    1. A cópia precisa de um projetista porque não pode se auto-replicar. O original pode, o que dispensa o projetista.

      Delete
  6. Sabe o que mais me admira, Deus é fruto da imaginação, Jesus um mito, e acreditar nisso é infantilidade... Porém a maior conquista de um Ateu é conseguir um argumento que contradiz a bíblia... Se você não acredita, qual o objetivo em querer que os outros não acreditem?? E se eu quero acreditar?? Conheço isso como livre arbítrio, sou intelectualmente possibilitado de fazer escolhas... Agora vamos lá me digam uma coisa, o que é que a bíblia diz para você fazer, que seja algo ruim, que de alguma forma trará algum mal pra sua vida?? E mais o que ela diz pra você Não fazer que será extremamente benéfico a você??
    Foi alegado que as profecias podem ser fraudes, e os diagnósticos concluídos pela ciência, também não são manipuladas por homens, também não podem ser uma fraude??

    ReplyDelete
  7. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete

Pregações, palavras de baixo calão, ofensas pessoais, práticas de trollagem, rotulações e argumentos ad hominem serão excluídos.