Compartilhe esta página no Facebook

Compartilhe esta página no G+

Pesquisar no site

Geração Espontânea: A Origem Mitico-religiosa da Abiogênese


Estava batendo um papo cabeça com alguns amigos quando um deles levantou a seguinte questão: “Por que um cientista crente em Deus (Pasteur) provou ser impossível a vida surgir do nada, como a própria Bíblia milhares de anos antes já previa, mas cientistas ateus continuam insistindo que a abiogênese é possível, pois afirmam que a vida surgiu de matéria não viva enquanto só a vida pode gerar vida?”. Então todos olharam para mim, o único ateu do grupo, e um deles disse com sorriso sarcástico: “Agora sai dessa!”. Também sorrindo pedi a palavra para expor o seguinte:

Segundo Gênesis, Deus verbalizava e a terra produzia espontaneamente seres de alta complexidade, como árvores, répteis e mamíferos. Ou seja, os textos bíblicos sobre a origem da vida aludem somente à Abiogênese. Cito alguns:

E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espécie, e a árvore frutífera, cuja semente está nela conforme a sua espécie. (Genesis 1.12). E disse Deus: Produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis e feras da terra conforme a sua espécie; e assim foi. (Genesis 1.24). Havendo, pois, o Senhor Deus formado da terra todo o animal do campo, e toda a ave dos céus, os trouxe a Adão... (Genesis 2.19).

Relatos de geração espontânea são também encontrados na mitologia grega: Após o dilúvio universal, o casal humano sobrevivente Deucalião e Pirra precisou da ajuda dos deuses para recriar a humanidade, mas os animais apareceram através da geração espontânea.

Devido ao domínio absoluto da religião sobre a cultura popular, a abiogênese era aceita normalmente até cerca de dois séculos atrás. Antes de Pasteur e alguns precursores, como Spalanzani, os próprios cientistas de todos os campos do conhecimento acreditavam, por exemplo, que as moscas eram originadas da matéria bruta do lixo. Recentemente, no século XVII, em resposta às dúvidas de Sir Thomas Browne sobre "se camundongos podem nascer da putrefação", Alexander Ross respondeu:

Então pode ele (Sir Thomas Browne) duvidar se do queijo ou da madeira se originam vermes; ou se besouros e vespas das fezes das vacas; ou se borboletas, lagostas, gafanhotos, ostras, lesmas, enguias, e etc., são procriadas da matéria putrefeita, que está apta a receber a forma de criatura para a qual ela é por poder formativo transformada. Questionar isso é questionar a razão, senso e experiência. Se ele duvida que vá ao Egito, e lá ele irá encontrar campos cheios de camundongos, prole da lama do Nilo, para a grande calamidade dos habitantes.

O médico belga J. B. Van Helmont, que posteriormente foi responsável por grandes experimentos sobre fisiologia vegetal, chegou a prescrever uma "receita" para a produção espontânea de camundongos em 21 dias. Segundo ele, bastava que se deixasse num lugar qualquer, uma camisa suja (o princípio ativo estaria no suor da camisa) e sementes de trigo para que em 21 dias fosse constatada a geração espontânea.

Hoje a teoria mais aceita sobre a origem da vida é a de Oparin-Haldane, a qual tem encontrado apoio de todos os experimentos desenvolvidos desde meados do século XX. Embora muitos defensores do criacionismo aleguem que a ideia de moléculas baseadas em carbono dando origem à primeira célula viva seja equivalente a organismos complexos surgindo espontaneamente do lixo, não é assim que cientistas bioquímicos encaram o assunto. Richard Dawkins (biólogo inglês que revolucionou a visão que se tinha da seleção natural demonstrando que a unidade de seleção é o gene, não o indivíduo) faz uma breve e didática analogia da evolução das espécies com o trabalho de um alpinista. Imagine um monte que de um lado possui um paredão vertical e do outro uma inclinação suave, se o alpinista escolher o lado do paredão para escalar o monte, terá grande dificuldade para chegar ao topo, mas se escolher o lado com inclinação suave poderá trilhá-lo em pequenos passos e a conquista do topo será apenas questão de tempo. A abiogênese é análoga ao alpinista escolhendo o paredão para chegar ao topo, seria uma escala sem degraus, do lixo ao rato, do caos a organização extremamente complexa. A evolução dos seres vivos, assim como a origem da vida a partir de matéria inanimada, escolheu um caminho demorado e longo de pequenos degraus para chegar às complexas formas de vida hoje existentes. Ao intervalo da evolução que vai das primeiras moléculas à primeira célula viva, dá-se o nome de Biogênese.

Diferente do que muitos pensam, como nosso amigo questionador, a crença na geração espontânea, também conhecida como Abiogênese, teve origem em mitos gregos e judaico-cristãos e sua refutação definitiva foi realizada pelo biólogo francês Louis Pasteur, através do método científico, em 1862.

"Se nós vamos ensinar ‘ciência da criação’ como uma alternativa à evolução, então nós devemos ensinar também a ‘teoria da cegonha’ como uma alternativa para a reprodução biológica." Judith Hayes

Ver também A Origem da Vida e Vida Extraterrestre.

15 comments:

  1. Excelente Alexandre!

    De fato, há sempre um grande mau entendimento quando alguns tentam relacionar a fé religiosa de alguns cientistas de épocas passadas à ciência. Na verdade quando se é cientista de fato sabe se separar bem as coisas.

    Dia desses vi um meme em um site apologista cristão onde creditavam as teorizações de Georges Lemaître ao fato de ele ter sido um padre. Quando os registros históricos mostram que ele foi o primeiro a repreender publicamente o Papa quando aquele tentou encaixar o Big Bang na teologia católica. O irônico, como sempre, é que a própria igreja (religião) rejeitou sua teoria, até que ela se mostrou evidente.

    A propósito, esta foi uma semana e tanto para a ciência. Medições efetuadas por telescópios dos EUA situados na Antártida conseguiram registar os ecos primários do Big Bang, isolaram registros de ondas gravitacionais, previstas no modelo da Relatividade Geral de Einstein, que comprovam a inflação cósmica, postulada por Alan Guth em 1981. A peça que faltava para elucidar o que aconteceu nas primeiras frações de segundo após o surgimento do universo.

    O Bang do Big Bang.

    Abraço!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Valeu Warlei! Seus comentários e informações são sempre enriquecedores e complementares às nossas postagens. Abraço!

      Delete
  2. É o que darwinismo naturalista faz, crê que a vida criou a si mesma por magia, e que magia conduz seres vivos a mudarem de forma radicalmente; desde amebas até pessoas!

    ACREDITAM que entidades inexistentes como MÁGICA: de forma cega, irracional, amoral, incogniscivel, sem planejamento, sem projeto, sem ordem, sem inteligencia, sem intenção e simplesmente por magia é que preenche a lacuna da origem da vida e suas formas complexas...

    ReplyDelete
    Replies
    1. ... ÁTOMOS... Monômeros(1).... Polímeros(2)... Príons(3)... Retrovírus(4)... Vírus(5)... Procariontes(6)... Eucariontes(7)... PLURICELULARES...

      1 – Aminoácidos
      2 – Proteínas
      3 – Proteínas que se autocopiam
      4 – RNA
      5 – DNA
      6 – Não se juntam
      7 – Formam tecidos

      A pergunta então é:

      Quem criou os átomos?
      Ou seriam as cordas?

      Delete
    2. Amigo, somente a descomunal e formidável fé dos crentes ateus darwinistas para acreditarem que átomos e partículas ao léu inanimados por si só;... conseguissem formar essa sequência bizarra que vc mostrou!

      Delete
    3. Caro Cícero,

      Organizei elementos que ainda existem conforme grau de complexidade. Foi apenas para mostrar a “mágica” que preenche lacunas entre surgimento e evolução, não querendo definir, entretanto, que sejamos descendentes de príons e retrovírus. De qualquer forma, parece tão linear que chega a ter divergência sobre o exato ponto em que a vida começa. O comportamento dos príons e os resultados das experiências de Harold Urey e Sidney Fox são evidências muito fortes, que levam a um nível de certeza muito além da mera fé.

      Não, não, não. Isso não descarta a existência de Deus como tende a fazê-lo as incoerências já tão batidas. Pensaste em algum momento que a Criação em Gênesis pode ser uma grande metáfora? Que os seis dias podem ter sido etapas lentas de evolução? Que, de onda à matéria, do átomo de hidrogênio ao ser humano, tudo é energia proveniente de um ser inteligente, que criou cada coisa a partir de elementos da Natureza que também é Ele?

      Sim. Há cientistas que diante de tantas maravilhas rendem-se à ideia de existência do Criador. Mas, até o Juízo Final, estarão repensando a cada grande descoberta.

      Delete
    4. As experiências de Urey/Miller e as subsequentes, foram um fracasso. Não foi gerado uma única célula viva.

      Delete
    5. A desonestidade criacionista, assim como a imbecilidade humana, parece não ter fim!

      Aquela experiência não teve o propósito de criar vida e sim de testar a hipótese de Oparin. Na época, em consequência do experimento constatou-se a produção de 13 dos 20 aminoácidos necessários ao surgimento da vida. Reanalises recentes detectaram a presença de mais de 20 aminoácidos.

      Isulta a inteligência de qualquer pessoa razoável, cristã ou não, alguém de mente sã querer que o surgimento da vida, um processo que levou milhões de anos, seja repetido em um experimento de laboratório. A preguiça intelectual e a deslealde dos cricionistas causa enjôo. Infelizmente o nosso estimado amigo Cícero não está interessado nos fatos meu caro Francisco! Está interessado apenas em fazer a apologia do criacionismo. Sim, porque para eles parece muito mais lógico que compartilhemos um ancestral comum com os tijolos, as telhas, os ladrilhos, porcelanatos e filtros de cozinha: o barro!

      A mediocridade é tanta, que chamam de mágica e em tom ridiculamente irônico um processo plausível e natural, por prefrerirem acreditar que um ser imaginário, inteligente (?), invisível e superpoderoso criou todo este universo para o nosso deleite e em nossa honra. Ora, veja só! Faz muito mais sentido não concorda?

      Já vi este moço fazer estas alegações antes e vi pessoas sérias e de boa vontade como você expor todos os argumentos que qualquer ser humano realmente interessado e conhecedor de ciência está passado de saber. Daí ele muda de assunto, cita umas baboseiras lidas em livros e sites de criacionistas (aquele pessoal preguiçoso que só sabe questionar a ciência com contra-argumentações simplistas, mentirosas, rasteiras e até infantis), vai para outro blogue ou outro post repetir as mesmas baboseiras novamente.

      Conforme eu disse no artigo que postei aqui, a mentira tem uma vantagem competitiva em relação à verdade. Pois a mentira é fácil de contar e anda muito mais depressa, enquanto a verdade é mais díficil, pois requer uma explicação mais complexa, um profundo conhecimento do assunto, e muita, mas muita honestidade. Coisa que criacionistas desconhecem em princípio e essência. Note, por exemplo, a facilidade com que o nosso amigo nega os resultados dos experimentos. Não lhe parece alguém falando com propriedade? Mas não se engane. É apenas um papagaio criacionista.

      O senso de ridículo é uma coisa de que estas figuras parecem carecer. Para aqueles que dominam um pouco o idioma da Rainha, deixo um link de uma matéria que tem como anexo um vídeo onde Pat Robertson, o mais rico e um dos mais proeminentes* tele-evangelistas dos EUA repreende o idolatrado burricionista (ops! criacionista) mor, o Ken Ham, e pede a ele em rede nacional para parar de fazer os cristãos passarem vergonha e virarem piada com essa balela de criacionismo, com o literalismo estúpido.

      *Não digo isto como elogio, pois ele, Pat Robertson, é um misógino, preconceituoso e um bandidão de marca maior. O que não chega a ser nenhuma novidade em se tratando de tele-evangelistas neopentecostais. Afinal semear o ódio em nome Deus rende muitos mais adeptos e simpatizantes do que pregar a tolerância e o amor verdadeiros (não partidários e não ligados a fé), em nome do humanismo e da razão.

      Delete
    6. O tempo 14.000 milhões de anos coincidentemente ou convenientemente é um pouquinho maior que a idade estimada do Universo. Isso elimina até mesmo a possibilidade de a vida ter se auto-originado antes em outro planeta. Eu poderia até contra argumentar dizendo que o valor 1 em 10 ^ 125 só considera uma reação por vez e não incontáveis simultâneas em meio a um sopão propenso a essas reações em todos os seus pontos; que os acertos quase sempre ocorrem muito antes de todas as combinações serem testadas e que a partir da alimentação e reprodução, como as experimentadas pelas esferas de Sidney Fox, as etapas subsequentes podem ter se tornado seletivas e menos aleatórias, dependendo menos do acaso e das probabilidades matemáticas. Mas eu prefiro recomendar um vídeo do Youtube.

      Dando os devidos descontos sobre os pontos divergentes, o slide http://www.youtube.com/watch?v=MVD5iCphfFs (Dr. Jack Szostak, biólogo molecular da Faculdade de Medicina de Harvard), de duração 09 minutos, trata como ridículas e mentirosas essas improbabilidades exorbitantes a cerca da origem espontânea da vida e mostra o seu porquê.

      ALGUNS RECORTES:

      “A primeira forma de vida não podia ser tão complexa como as de hoje... Os genomas iniciais eram completamente aleatórios e portanto não possuíam informação. Foi a capacidade de reproduzir espontaneamente, independente da sequência, que impulsionou o crescimento e divisão das vesículas de ácidos graxos. Qualquer mutação que aumentasse a taxa de replicação dos polímeros era selecionada. E como mutação mais seleção natural é igual a aumento de informação... E é isso. Um sistema simples de 2 componentes que se formaram espontaneamente no ambiente pré-biótico, que podem comer, crescer, conter informações, replicar e evoluir simplesmente através de termodinâmica, mecânica e forças elétricas, sem improbabilidades ridículas, sem forças sobrenaturais, sem raios acertando poças de lama. Apenas Química”.

      Delete
    7. Caro Fancisco, francamente então me mostre e me explique como BARRO-LAMA inorgânicos num ambiente estéril e hostil virou fungos, bactérias e mais tarde, virou girafas, elefantes e GENTE! em milhões de anos, como prega sua religião mágica transformista. Me mostre como se deu a transição entre cada suposta etapa desses milagres mágicos.
      Cadê os fósseis intermediários? Como a evolução criou a síntese proteíca e telomérica, fotossíntese, sinalização celular em lentos passo-a-passos? Coagulação do sangue? Splicing? Homeostase? Reguladores protéicos e de transcrição? transporte de elétrons, estabilização dos genes, reduplicação do DNA?

      Como acharam a explicação natural para a origem dos mais de 2600 ciclos metabólicos (metacyc.org/META/class-instances?object=Pathways)? as centenas de máquinas moleculares? Na natureza existe inúmeros mecanismos pensados serem exclusividade humana.. Temos parafusos nas juntas das patas de um besouro, engrenagens dentadas no inseto Issus, temos sonares em golfinhos e morcegos, temos bússolas e magnetos em bactérias, salmões, temos o sistema complexo de absorção de impacto em pica-paus (que permitem que seus cérebros resistam ilesos a desacelerações de 1200 G, conforme bicam madeira 20x por segundo), temos motores movidos a íons/prótons, pistões em bactérias,, temos algas que usam mecânica quântica em sua fotossíntese..

      Temos, ordem e design (sequências de Fibonacci na natureza, por exemplo) existente no Universo, sistemas complexos e irredutíveis, instintos animais (incluindo o de brincar uns com os outros), consciência humana, intelecto, moral, razão...

      Fique a vontade para demonstrar que o naturalismo regido por forças cegas, frio, amoral, impessoal, irracional, inanimado e indiferente pode arquitetar tudo isso. O máximo que se pode fazer em defesa da evolução são modelos ad hoc especulativos e alegóricos sem qualquer comprovação experimental pela metodologia científica. Na verdade, isso é apenas o desespero para defender o mito dogmático darwinista.

      Delete
  3. rsrs... olha aí mais uma vez, deletaram meus posts! coisa do preconceituoso e antissobrenaturalista Alexandre.
    Se não aceita comentários e refutações contrárias, feche os comentários ou continue um asno infantil...rsrs.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Alexandre,

      Tenho acompanhado o seu trabalho com muita satisfação e admiração. Sua postura é inegavelmente ética e respeitosa com todos. Sou testemunha deste fato e acredito que muitos dos seus leitores concordem comigo.

      Seu blogue também oferece o espaço para comentários e o livre debate e considero este, sem sombra de dúvida, um espaço democrático, onde as pessoas são livres para se manifestar. Mas existem regras e critérios estabelecidos e reza a boa etiqueta que uma postura minimamente leal seja esperada.

      Como base de argumentação entendo que apelar para a apologética seja lícito, mas se valendo de lisura e honestidade. Se alguém afirma ser capaz de refutá-lo penso que este alguém deva ser capaz de fazê-lo usando de argumentos lógicos, dados publicamente conhecidos e cientificamente comprovados. Não bastando assim, repetir mentiras ou insistir em citar dados de fontes de informações tendenciosas e nada científicas; ou ainda usar lógica circular como alegação de fato.

      Infelizmente existem aqueles que querem apenas impor as suas verdades, na base de golpes baixos, mentiras e citações distorcidas ou descontextualizadas. Também infelizmente estes não costumam ter a hombridade necessária para reconhecer suas más práticas.

      Um deus de amor não dependeria deste tipo de defesa, de mentiras e falácias insistentemente repetidas. Não precisaria de defensores que selam os olhos e os ouvidos para os fatos. Se ele existisse, estou certo de que abriria mão deste tipo de defensor medíocre. Que acaba por depor contra si e contra sua própria fé, na medida em que não sabe jogar limpo, não sabe respeitar um espaço democrático e atuar conforme as regras.

      Saudações!

      Delete
    2. Caro Cícero, agradeço por sua participação neste espaço democrático. Gostaria de sugerir-lhe a leitura do conteúdo do link "Leia-me Antes de Comentar" acima. Felicidades!

      Delete
    3. Caro Warlei.
      Sou grato por seu apoio e opiniões sempre equilibradas e embasadas.
      Abraço!

      Delete
  4. Então antes de existir o universo os planetas a matéria, existia o quê? E como foi criada essas coisas tão complexa e bem definidas cada uma no seu devido lugar e proposito explique isso, será que foi obra do acaso ou foi tudo planejado? E quem planejou e executou todas essas coisas, quem foi que trouxe a existência do universo e dos planetas antes de existir alguma coisa, lembrece-se o que os cientas enventão e descobriu foi das coisas que existe, porventura um cienta mais intectual do mundo pode criar um ser humano e da a vida a ele, sem ser que seja clonado de uma pessoa ja existente através do dna dessa pessoa, se o ser humano foi uma evolução porque ninguém mais ver essa evolução e porque parou essa evolução, eu sou a favor da ciência, mais nem tudo a ciência pode responder, os cientistas são seres limitados como eu e vc e toda a humanidade, o universo é muito grande e antigo e a nossa compreensão dessas coisas vai alem da nossa limitação humana, não quer dizer que algumas descorbertas cientifica anula a existência de um CRIADOR, não estou falando de religião e nem de bíblia porque não ultilizo dessas coisas, eu só ultilizo alogica e o raciocino logico, me responda essas coisas?

    ReplyDelete

Pregações, palavras de baixo calão, ofensas pessoais, práticas de trollagem, rotulações e argumentos ad hominem serão excluídos.