#Compartilhe

Compartilhe esta postagem no Facebook

Compartilhe esta postagem no G+

Pesquisar no site

Quando a Resposta de Deus é Não


Certa ocasião, uma pessoa em lágrimas orava a Deus:

– Senhor, por que demoras em meu socorro? Estás me dizendo não?


Ao que Deus respondeu:

 Nunca digo não. Mas sou limitado à capacidade que as pessoas têm de mudar sua própria realidade. Quando fracassam, preferem pensar que eu disse não ou que fiquei calado. Quando superam os problemas, me agradecem supondo que eu disse sim. Há uma multidão que não levanta suas mãos nem a voz para os céus, mas vive melhor do que a maioria dos que me buscam. Se não vês uma alternativa para o teu problema, pede socorro às pessoas que te amam, pois, se alguém real não te ajudar, muito menos eu que sou fruto da imaginação humana.

11 comments:

  1. "Quando deus fala conosco é esquizofrenia."... Quer tenham de fato existido ou não, o mundo é infelizmente dominado por 3 esquizofrênicos: Abraão, Jesus Cristo e Maomé.

    Minha tristeza só não é maior do que a minha esperança de que a sociedade ocidental continue a evoluir e a caminhar na direção do humanismo secular.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Meu amigo Warlei Alves,
      não estou aqui para fazer você acreditar e respeito sua opinião, mais analisando o texto acima e o que disse tenho uma resposta minha:
      N a verdade as pessoas confundem muito a comunicação com Deus que é uma oração, é lógico que Deus não vai responder falando numa voz do nada com uma pessoa,
      A própria bíblia diz que não devemos somente esperar em Deus e sim correr atrás das coisas como emprego, estudos e etc. Imagine todo mundo de braços atados esperando Deus? Ele não gosta de preguiçosos, ele mesmo disse que o homem viveria do suor;
      Quando uma pessoa fracassa ou acerta é lógico que foi ela mesma quem originou tal coisa, a própria bíblia diz que Deus não faz aquilo que podemos fazer;
      E para finalizar, você chama de esquizofrênicos personalidades que passam de geração para geração e sua história não morre, pessoas que influenciam todo o mundo até hoje e amanhã certamente também.
      Respeito seu ponto de vista e não quero colocar na sua cabeça crença nenhuma.Obrigado.

      Delete
    2. Ok Jonas! Certo... Já existe uma resposta bem elaborada para a sua linha de argumentação. Vou aproveitá-la, se me permite: “O fato de milhões de criaturas compartilharem os mesmos vícios não os transformam em virtudes; o fato delas praticarem os mesmos erros não os transformam em verdades e o fato de milhões de criaturas compartilharem a mesma forma de patologia mental (moral, social e comportamental) não torna
      estas criaturas mentalmente sadias”.
      (Erich Fromm)

      Delete
  2. Francisco Neto8:23 PM

    Aí uma grande verdade, os autores bíblicos de capa a capa não falam nada sobre micróbios e dinossauros por que não sabiam nada sobre isso, Aonde falam sobre monstros eram as baleias não dinossauros e as doenças eram demonios.

    ReplyDelete
  3. O texto parte do pressuposto de que Deus é um ser imaginário, portanto, não existe. Interessante como uma pessoa que não existe respondeu ao Senhor que orou. Será que estão admitindo a existência de Deus ou o Senhor é esquizofrênico?



    ReplyDelete
    Replies
    1. Na cabeça de quem ora ele existe sim,embora seja imaginário.

      Delete
  4. “Há uma multidão que não levanta as mãos nem a voz para os céus, mas vive bem melhor que a maioria dos que me buscam”.

    Essa parte do texto imaginário, deste “deus imaginário” é desprovida de provas.
    Muito pelo contrário, pessoas que têm fé e acreditam num deus, mesmo sendo supostamente imaginário, são pessoas, mais felizes e de bem com a vida.
    Já os que não acreditam em nada disto, costumam ser revoltados, não conseguindo muitas vezes, se relacionar com a própria família.
    Segundo a neurociência (ciência).
    Entre os acadêmicos, neurocientistas, psiquiatras, psicólogos e até mesmo filósofos, muitos compartilham deste estudo.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Meu caro! Digo por mim, que vivo muito bem e penso que sua afirmação sobre a felicidade dos crentes e descrentes é, no mínimo, suspeita.

      Primeiro, solicito que, ao mencionar "estudos" cite a fontes e os nomes dos cientistas que os alega ou confirmam. Sem dados concretos e números a sua alegação torna-se inverossímil. Soa como uma falácia do apelo à autoridade, mas a uma autoridade anônima. O que torna ainda mais vazio o argumento.

      Por fim, o bem estar pessoal, até onde eu sei, não depende de crença ou descrença e o texto não diz isso. O que o texto diz está claro, muito claro! Conforme você mesmo citou em destaque.

      Delete
    2. Bob,tbm falo por mim,sou muito feliz e nem um pouco revoltado.Gostaria de fontes dessas pesquisas em que vc se baseou para dar sua opinião.Talvez eu não seja tão feliz como imagino.

      Delete
  5. O ateísmo reivindica que não há Deus. A fé Nele, porém traz-me tranquilidade, paz, confiança, libertação da escravidão dos pecados, medos, angústias, tristezas e esperança real de vida eterna no céu (e não só pra mim).
    Logo, o ateísmo não existe, é puro fruto da imaginação humana...

    ReplyDelete
  6. Ponho-me de acordo com a mesma lógica de Einstein.

    “O mistério da vida me causa a mais forte emoção. É o sentimento que suscita a beleza e a verdade, cria a arte e a ciência. Se alguém não conhece esta sensação ou não pode mais experimentar espanto ou surpresa, já é um morto-vivo e seus olhos se cegaram. Aureolada de temor, é a realidade secreta do mistério que constitui também a religião. Homens reconhecem então algo de impenetrável a suas inteligências, conhecem, porém as manifestações desta ordem suprema e da Beleza inalterável.

    Homens se confessam limitados e seu espírito não pode apreender esta perfeição. E este conhecimento e esta confissão tomam o nome de religião. Deste modo, mas somente deste modo, soa profundamente religioso, bem como esses homens. Não posso imaginar um Deus a recompensar e a castigar o objeto de sua criação. Não posso fazer ideia de um ser que sobreviva à morte do corpo. Se semelhantes ideias germinam em um espírito, para mim é ele um fraco, medroso e estupidamente egoísta.

    Não me canso de contemplar o mistério da eternidade da vida. Tenho uma intuição da extraordinária construção do ser. Mesmo que o esforço para compreendê-lo fique sempre desproporcionado, vejo a Razão se manifestar na vida.” Albert Einstein

    Em TEOSOFIA DE ALBERT EINSTEIN

    ReplyDelete

Pregações, palavras de baixo calão, ofensas pessoais, práticas de trollagem, rotulações e argumentos ad hominem serão excluídos.